Províncias

Distribuição de água potável foi melhorada em Ndalatando

O novo sistema de captação e canalização de água potável para a cidade de Ndalatando, construído a partir do rio Mucari, desde 2006, começou, recentemente, a beneficiar as primeiras casas, afirmou o governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique Júnior.

A água potável jorra em muitas torneiras do país e é motivo de satisfação da população
Fotografia: Pedro Miguel

O novo sistema de captação e canalização de água potável para a cidade de Ndalatando, construído a partir do rio Mucari, desde 2006, começou, recentemente, a beneficiar as primeiras casas, afirmou o governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique Júnior.
O governador prestou estas informações durante a cerimónia de cumprimentos de fim de ano aos responsáveis e quadros do governo local, políticos, religiosos, sobas, militares e polícias, realizada quarta-feira última, em Ndalatando.
O governador do Kwanza-Norte indicou que as primeiras residências de Ndalatando, sede da província, já estão a ser abastecidas de água potável, através do novo sistema de abastecimento, denominado “Projecto Mucari”.
A rede de distribuição continua a ser alvo de intervenção para levar água a todas as habitações da cidade, dentro de alguns meses, aproveitando-se assim todo o seu potencial, disse, Henrique Júnior.
O governador frisou que “a tarefa visa mitigar completamente a necessidade de consumo de água na cidade de Ndalatando”.
Os trabalhos basearam-se na construção de uma estação de tratamento, um reservatório com a capacidade para cinco mil metros cúbicos, um sistema de captação no rio Mucari e a instalação de uma conduta adutora com uma extensão de 16 quilómetros.
O fornecimento de água às primeiras habitações de Ndalatando foi possível com a conclusão das obras de ensaios e testes de pressão hidráulica nas condutas e reservatórios que visaram a detecção e correcção de anomalias no sistema. A fase do projecto de reabilitação e expansão da rede de distribuição de água a Ndalatando, executado pela empresa Sinohydro, foi financiado pelo Banco Mundial e está avaliado em 10,7 milhões de dólares.
A cidade de Ndalatando era abastecida pelas fontes do Morro Redondo e da Santa Isabel, actualmente incapazes devido ao crescimento demográfico e pela transformação da última numa fábrica de engarrafamento de água mineral.

Tempo

Multimédia