Províncias

Docente defende dieta com insectos e larvas

André Brandão | Ndalatando *

A professora da Universidade Técnica de Dresden, na Alemanha, Thea Lautenschlager, a­­conselhou, em Ndalatando, as famílias a reforçar a alimentação com insectos e larvas, como grilos, gafanhotos, jissombe e catatos, por possuírem e­levado valor nutritivo.

Na província do Cuanza Norte existe centenas de tipos de plantas de interesse medicinal com destaque para o gomagoma
Fotografia: Arquivo Jornal de Angola

A investigadora alemã salientou que os insectos e larvas, comparados com frango e carne de vaca importada, pelo elevado valor de proteínas e gorduras, tornam-se mais saudáveis para o homem.
Thea Lautenschlager, que falava durante a realização das terceiras jornadas científicas da Escola Superior Politécnica do Cuanza Norte, disse que estas afirmações resultam das conclusões de uma pesquisa realizada por especialistas do Uíge e uma cientista alemã.
A professora revelou existirem ainda, no Cuanza Norte, cerca de 200 tipos de plantas de interesse medicinal, com destaque para o gomagoma, mondondo e jimono, encontradas nas savanas e florestas densas da região.
O número indicado, esclareceu, é um dado provisório, uma vez que os trabalhos de investigação continuam e só devem terminar nos próximos tempos, uma vez que ainda falta investigar algumas plantas.
Thea Lautenschlager realçou que estas plantas têm a capacidade de curar várias doenças, principalmente as dores de cabeça, de barriga e das articulações, a infertilidade, diarreia, vómitos, febre-amarela, malária, assim como outras têm poder afrodisíaco. Também foram analisadas amostras de alguns rios e cacimbas, onde muitas pessoas vão abastecer-se para consumo, e determinou-se que as referidas águas estão contaminadas com várias bactérias, que causam doenças diarreicas, vómitos e dores de barriga.
A docente alemã referiu que, durante os trabalhos de investigação, encontraram no Cuanza Norte alguns tipos de anfíbios e répteis ainda desconhecidos pela ciência, o que abriu um longo caminho para a descoberta de novas espécies.
Nas matas também existem algumas espécies que devem ser preservadas a todo custo, assim como se deve continuar a valorizar as tradições locais.

Banga com iluminação 

A nova zona habitacional do município da Banga, onde foram, numa primeira fase, erguidas 100 das 200 casas previstas pelas autoridades provinciais, está a ter obras de instalação da iluminação pública.
Para já, foram instalados nas ruas do novo complexo residencial, localizado na sede municipal, 72 postes de iluminação.
Em breve, para o fornecimento de energia eléctrica, vai ser montado um grupo gerador, cuja aquisição se insere no Programa de Investimentos Públicos.
O chefe da equipa de trabalhos, António Mateus Bernardo, salientou que a obra faz parte da primeira fase do processo de iluminação do novo complexo residencial, enquanto a segunda vai ser feita após a conclusão da edificação das restantes 100 casas inscritas no projecto.
As casas do complexo residencial da Banga, que têm habitações de tipologia T3, com uma sala, três quartos, cozinha e casa de banho, também vão ter electricidade a partir do mesmo sistema, tal como já a­conteceu nos complexos habitacionais dos municípios de Quiculungo e de Bolongongo.
Localizada a 156 quilómetros a norte de Ndalatando, a vila da Banga, que é habitada por cerca de duas mil pessoas, é actualmente abastecida de electricidade por um gerador de 700 KVA.
O chefe da área económica da Administração Municipal da Banga, Domingos João Gomes, disse que a entrada em funcionamento do sistema de iluminação das ruas da nova área habitacional vai melhorar o nível de vida dos residentes, sendo também um contributo para a segurança das pessoas, durante a noite.

Concluídas  licenciaturas

Os primeiros licenciados da escola Superior Politécnica concluem este ano os seus cursos em diversas áreas, anunciou  em Ndalatando, o director-geral da instituição.
Pedro Vita esclareceu, durante a realização das III jornadas científicas da instituição, que vai lançar no mercado de trabalho os primeiros 247 licenciados, formados nas áreas de Administração Pública, Contabilidade e Gestão, Informática de Gestão e Análises Clínicas. O encontro, que decorreu sob o lema  “O papel da Universidade na construção de uma sociedade empreendedora”, teve por  objectivo debater o impacto da universidade na comunidade e construção de uma cultura de empreendedorismo. Inaugurada em 2011, a Escola Superior Politécnica do Cuanza Norte é uma unidade orgânica afecta à Universidade Kimpa Vita e conta com um corpo docente constituído por 60 professores, entre nacionais e estrangeiros. A instituição tem matriculados 1.572 estudantes  e ministra vários cursos entre eles o da Administração Pública.
­­­ *Com Angop 

Tempo

Multimédia