Províncias

Doentes com Sida abandonam tratamento

Manuel Fontoura| Ndalatando

As autoridades sanitárias da província do Kwanza-Norte estão preocupadas com os seropositivos que abandonam o tratamento, correndo o risco de aumentar a infecção e contaminar outras pessoas.

Estão em curso várias campanhas de sensibilização contra a discriminação e para se evitar a propagação da doença
Fotografia: JA

As autoridades sanitárias da província do Kwanza-Norte estão preocupadas com os seropositivos que abandonam o tratamento, correndo o risco de aumentar a infecção e contaminar outras pessoas.
De acordo com o coordenador do Núcleo Provincial do Kwanza-Norte de Controlo e Combate à Sida, Mateus Gaspar, o número de pessoas seropositivos na província já começa a preocupar, tendo em conta que, no ano passado, se registaram 367 casos positivos.
Mateus Gaspar disse que nos encontros com os doentes infectados tem estado a aconselhar os cuidados que eles devem ter com a doença: "e demonstramos as vantagens no tratamento correcto e as medidas de prevenção. Não desistimos e continuamos atrás deles, para os convencermos a voltarem às nossas consultas".
Mateus Gaspar disse que a desistência do tratamento por parte de algumas pessoas é um perigo para o próprio doente, levando-o à degradação física total: "é um crime se este doente ir propagar a doença a outras pessoas propositadamente". Recentemente, os técnicos da clínica móvel do Centro de Aconselhamento e Testagem Voluntária de HIV/Sida efectuaram testes em 43 pessoas de ambos os sexos, em Ndalatando, tendo diagnosticado um caso positivo. Mateus Gaspar informou que hoje e no dia 30 do corrente mês de Abril, o mesmo trabalho é realizado em locais de maior concentração populacional da cidade de Ndalatando, uma actividade que vai posteriormente a todos os municípios da província do Kwanza-Norte.

Tempo

Multimédia