Províncias

Duas centenas de pessoas morreram no Kwanza-Norte

A malária, com 221 óbitos em 84.250 casos diagnosticados, constituiu, em 2010, a principal causa de mortalidade e internamento no hospital provincial de Ndalatando, disse, na quinta-feira, o director provincial da Saúde.

A malária, com 221 óbitos em 84.250 casos diagnosticados, constituiu, em 2010, a principal causa de mortalidade e internamento no hospital provincial de Ndalatando, disse, na quinta-feira, o director provincial da Saúde.
Manuel Varela afirmou que o sector registou 578 novos casos de tuberculose pulmonar, que resultaram em seis óbitos, e cinco de lepra, sem registo de mortes.
Quanto a doenças tropicais, referiu, a província registou 4.737 casos de oncocercose (cegueira dos rios) e schistosomiasis (infecção urinária), sem casos de óbito. Na província ocorreram, também, 46 novos casos de tripanossomíase (doença do sono) e 249 de filária, também sem registo de óbitos. Em 2010, referiu Manuel Varela, foram realizadas 10.128 consultas pré-natal e o nascimento de 3.724 bebés, 207 deles nados mortos. “A málaria é uma das principais morte no país”, disse Manuel Varela.

Tempo

Multimédia