Províncias

Empreendedorismo chega às escolas do Cuanza Norte

Marcelo Manuel | Ndalatando

A disciplina de Empreendedorismo começa no próximo ano lectivo a fazer parte dos currículos de cinco escolas do primeiro e segundo ciclos do Cuanza Norte, com o objectivo de criar nos estudantes a responsabilidade pessoal e criatividade de pequenos negócios.

Executivo pretende com este programa desenvolver nos alunos competências empreendedoras para a criação de pequenos negócios
Fotografia: Nilo Mateus |

O coordenador do programa de introdução desta disciplina no Cuanza Norte, Julião Cerqueira, disse na terça-feira que o trabalho de concretização deste objectivo está a ser levado a cabo pelas administrações municipais de Cazengo e Lucala, em parceria com o Ministério da Educação. No Cuanza Norte foram seleccionadas as escolas do primeiro e segundo ciclo do município da Lucala, com destaque para a Samora Moisés Machel, Comandante Benedito, núcleo de formação de professores e o Instituo Médio Agrário.
Com este programa o Executivo prevê desenvolver nos alunos competências empreendedoras, para a criação de pequenos empreendimentos e negócios, o que também conduz a uma outra atitude perante o trabalho, espírito de criatividade e de inovação para a resolução de problemas relacionados com as necessidades pessoais, de família e da comunidade em geral. Julião Cerqueira recordou que este projecto arrancou, em 2010, nas províncias de Cabinda, Uíge, Malanje, Luanda, Benguela, Huambo, Lunda Norte e Cunene, tendo já abarcado, até ao ano passado, 45 escolas, cinco em cada uma delas. Em cada uma destas províncias foram realizadas cinco formações específicas, onde participaram um total de 275 professores, que leccionam da 70 à 130 classe, e 29.303 alunos. As principais matérias abordadas estão relacionadas com os hábitos de poupança, como criar pequenos negócios, auto-emprego, atenção entre a escola e a comunidade, desenvolvimento de autoconfiança, intenções e atitudes empreendedoras e a inclusão dos familiares e encarregados de educação na criatividade dos alunos.
O também coordenador do 20 ciclo do ensino geral do Ministério da Educação deu a conhecer que se espera a obtenção de resultados palpaveis, como a relevância do programa em comparação com as prioridades e desafios nacionais de desenvolvimento. Pretende-se, ainda, alcançar a sustentabilidade social, política e financeira, além da gestão eficiente entre a população. 
A nível das províncias de Cabinda, Uíge, Malanje, Lunda Norte, Luanda, Huambo, Benguela, Huíla e Cunene, o projecto encontra-se já em fase de generalização, enquanto no Zaire, Bengo, Lunda Sul, Moxico, Cuando Cubango, Bié, Cuanza Sul, Namibe e Cuanza Norte se está a trabalhar para a sua aplicação, esclareceu.
Nas regiões consideradas de a­plicação primária já existem a­lunos finalistas que, através dos conhecimentos adquiridos, criaram pequenos negócios, sendo que alguns recém-formados já participaram na feira internacional de Luanda, realizada em Novembro passado, onde tiveram a oportunidade de demonstrar as suas potencialidades na criação de pequenos negócios.

Tempo

Multimédia