Províncias

Empresa de recolha de lixo na província já traçou metas para as festas da família

Kátia Ramos | Ndalatando

O coordenador de operações da empresa encarregada da limpeza da cidade de Ndalatando, província do Kwanza-Norte, Carvalho dos Santos Pimentel, garantiu que a mesma já traçou metas para acautelar o foco de resíduos sólidos durante o Natal e o Ano Novo.   

O coordenador de operações da empresa encarregada da limpeza da cidade de Ndalatando, província do Kwanza-Norte, Carvalho dos Santos Pimentel, garantiu que a mesma já traçou metas para acautelar o foco de resíduos sólidos durante o Natal e o Ano Novo.   
Carvalho Pimentel disse ontem ao Jornal de Angola que foi elaborado um programa específico de limpeza na cidade, com a mobilização de 128 trabalhadores que se vão encarregar da limpeza, remoção do lixo e a sua incineração.
O responsável disse que durante a quadra festiva a operadora vai adoptar as experiências colhidas nas festividades do dia 11 de Novembro, cujo acto central se realizou em Ndalatando, em que a empresa conseguiu manter a higiene da cidade.
Carvalho Pimentel recordou que foi um trabalho árduo, mas os resultados foram positivos e que a dinâmica no dia 11de Novembro também vai ser aplicada durante a quadra festiva. Para tal, pediu a colaboração da população.  
A empresa conta com meios específicos, como banheiros públicos, novos contentores, quatro camiões compactadores, três carrinhas basculantes, duas carrinhas de lavagem de rua e igual número de camiões de limpeza de fossas.
A operadora dispõe também de um mini camião basculante, uma retro-escavadora, um tractor bobcat, um camião de varredura mecânica e dois camiões cisternas.
Carvalho Pimentel lembrou que a empresa realiza trabalhos do género desde 2004, altura em que se instalou na província, referindo que no presente ano vai procurar fazer o melhor, com a apresentação de um serviço mais completo, tendo por isso adquirido novos meios.
O Jornal de Angola apurou que neste período de festa a cidade tem registado grandes focos de lixo nas ruas. As pessoas deitam o lixo para o chão ou nas zonas verdes em vez de o depositar nos contentores.
A empresa tem estado a distribuir sacos de lixo em zonas inacessíveis. Na periferia da cidade, a empresa criou brigadas que se dedicam ao transporte pessoal dos resíduos até onde as viaturas têm acesso.  Augusto Sampaio, 43 anos, trabalhador da Recolix, disse à nossa reportagem que a população precisa de ser educada, porque tem contribuído para o grande aglomerado de lixo ao longo da cidade.
 “Não se compreende que muita gente, mesmo com o contentor ao seu lado, prefere depositar o lixo no chão. Enquanto a população não for educada, o lixo vai se manter.”Augusto Sampaio mostrou-se orgulhoso pelo facto de os visitantes afirmarem que a cidade é limpa e verde, mas disse que para se manter a tal imagem todos devem dar a sua contribuição.
Mamã Celeste, mãe de nove filhos, também trabalha na operadora e disse que gosta do que faz e lembrou que limpar a cidade é como se estivesse a cuidar da higiene da sua própria casa. Para ela, a quadra festivas é sempre um dos grandes desafios, mas acredita que a sua empresa está capacitada.

Tempo

Multimédia