Províncias

Empresas públicas e privadas com mestres de artes e ofícios

André Brandão| Ndalatando

O Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), desde a sua implementação em 1996, no na província do Cuanza Norte, já formou 6.873 técnicos, dos quais 1.538 do sexo feminino.

Em entrevista, ontem, ao Jornal de Angola, o chefe dos serviços provinciais do Inefop, Maurício da Costa, informou que os cursos de alvenaria, agro-pecuária, carpintaria, canalização, cabeleireiro, corte e costura, electricidade, electrónica, inglês, mecânica, mesa e bar, refrigeração e serrilharia duram nove meses, ao passo que os de culinária, decoração e informática duram menos tempo.
Para o presente ano lectivo, acrescentou Maurício da Costa, foram inscritos 1.525 candidatos e matriculados 1.071 alunos, com idade entre os 16 e os 50 anos, sendo as aulas ministradas por 53 professores.
Segundo Maurício da Costa, muitos jovens formados pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional no Cuanza Norte conseguem, facilmente, o seu primeiro emprego, através de parcerias com instituições públicas e privadas, que em determinados momentos vão recrutando mão-de-obra qualificada.
Como exemplo da parceria entre o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional e o sector privado, Maurício da Costa citou a Odebrecht, encarregue dos trabalhos nas barragens de Cambambe e de Laúca, bem como outras obras de construção civil, localizadas não só no Cuanza Norte, mas também em Benguela, Luanda, Cuanza Sul e Uíge.
Segundo o responsável, em Ndalatando, Camabatela (Ambaca), Samba Caju, Kikulungo e Golungo Alto, o Inefop criou condições para que os jovens interessados possam candidatar-se a um curso de formação profissional, no quadro do programa de combate ao desemprego.

Novos cursos em vista

A província do Cuanza Norte dispõe actualmente de nove unidades de formação profissional, dentre elas três pavilhões de arte e ofícios em Cazengo, Kikulungo e Samba Caju e igual número de centros móveis em Cambambe (Dondo), Cazengo e Golungo Alto, bem como dois centros integrados de emprego e um de formação profissional, nos municípios de Cambambe (Dondo), Ambaca e Cazengo.
O chefe dos serviços provinciais do Inefop garantiu que entre as prioridades do governo provincial constam a expansão dos centros de formação em todo o território do Cuanza Norte e a conclusão, ainda este ano, do centro de formação feminino do Kikulungo, bem como a implementação de novos cursos, como os de mecânica, bate-chapa, electricidade auto e montagem de antenas parabólicas.
Para se matricular nos cursos ministrados pelo Inefop, os interessados devem ser cidadãos angolanos, apresentar cópia do BI, certificado de habilitações literárias ou declaração a partir da sexta classe. Para o curso de electricidade, acrescentou, os candidatos devem ter obrigatoriamente a 12ª classe.

Tempo

Multimédia