Províncias

Energia eléctrica chega à comuna

A comuna de Cambondo, a 15 quilómetros da vila do Golungo Alto, na província do Cuanza Norte, vai, a partir do mês de Julho próximo, beneficiar, pela primeira vez na sua história, de energia eléctrica, produzido na barragem de Cambambe. 

Comuna do Cambondo nunca antes beneficiou de energia eléctrica daí a satisfação da comunidade que vê um dos seus maiores problemas resolvido
Fotografia: Marcelo Manuel |Huambo


O director provincial da Empresa Nacional de Distribuição de Energia Eléctrica (ENDE), Mazali Paulo,  confirmou ontem o facto durante uma visita de trabalho do governador do Cuanza Norte aos municípios do Golungo Alto, Lucala e Ambaca, e esclarecu que a execução física dos trabalhos tiveram início no último mês de Março e ficam concluídas em Julho em Julho próximo. 
Na comuna de Cambondo, a ENDE vai instalar dois postos de transformação com capacidade de 360 kv cada, que beneficiará 1.613 consumidores. Também será montado um ramal que suportará uma unidade industrial, bombas de combustível, mercado rural da Trombeta, situado junto à Estrada Nacional 230-B.
 O soba de Cambondo, António Marcos, considera um dado histórico para a comunidade a materialização do projecto, pelo facto da região nunca antes ter beneficiado deste serviço de capital importância. Admitiu que com a energia eléctrica, a vida da população estará mais facilitada, podendo conservar alimentos e acompanhar as notícias do país e do mundo na televisão ou ouvir rádio.
António Marcos lançou um repto as entidades no sentido de intervirem junto das instituições que tutelam as redes de telefonia móvel a expandirem os seus serviços, para facilitar com que a comunidade tenha acesso a comunicação e poder comunicar-se com  familiares e amigos que se encontram em outros pontos do país e do mundo. A população da comuna de Cambondo volta a consumir água potável, quatro anos depois, depois de ter sido recuperado o sistema de captação, tratamento e fornecimento com capacidade de oito metros cúbicos.
O sistema de captação é sustentado por dois tanques, um com capacidade de 100 metros cúbicos e outro de 80 metros cúbicos. O representante da empresa responsável pelas obras de reabilitação do sistema de captação de água, Xavier Augusto,  realçou a importância do empreendimento para a vida das populações, sublinhado que a fonte de captação está projectada no leito do rio Luinha, que dista a seis quilómetros da sede. Na comuna foram ainda recuperados seis chafarizes.
O administrador comunal de Cambondo em exercício, César de Almeida, caracterizou estável a situação social e económica da região, pelo facto de o governo da província e parceiros criarem várias infra-estruturas que permitiram melhorar as condições de vida das populações.
A localidade conta com uma fábrica de montagem de motorizadas, mercado rural da Trombeta e outras infra-estruturas sociais.
 A população passou a consumir água potável, com a reinauguração do sistema de captação e tratamento de água potável, e, nos próximos dias, beneficiam de energia eléctrica.

Tempo

Multimédia