Províncias

Especialistas pedem investimentos locais

Marcelo Manuel | Ndalatando

Responsáveis de organismos do Estado na província do Cuanza-Norte defenderam sábado, na cidade de Ndalatando, mais investimento social e económico nos municípios, para permitir o desenvolvimento sustentado das comunidades.

Um ângulo da cidade de Ndalatando, palco da conferência provincial de quadros que visou discutir os problemas da região
Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro | Cuanza-Norte

A ideia foi defendida durante a conferência provincial de quadros sobre  no  tema  “A vida nos municípios, potencialidades locais, dissertado pelo chefe do gabinete provincial da agricultura”, apresentada por Walter Pimenta.
Os conferencistas disseram esperar que haja novas políticas para melhorar as condições de vida das populações, que passam pela construção de novas infra-estruturas, como escolas, unidades sanitárias e construção e recuperação de estradas.
O sociólogo João Aguiar, do município de Samba Caju, ressaltou a necessidade de o governo provincial ajustar os orçamentos financeiros dos municípios da Banga, Bolongongo e Ngonguembo, para que as administrações tenham maior espaço de manobra no que concerne a projectos que  garantam maior visibilidade das paisagens arquitetónicas das vilas e municipais.
De acordo com o sociólogo, os responsávei da província devem ser rigorosos na gestão da coisa pública, para que os orçamentos cedidos pelo Estado se repercutam positivamente na vida das pessoas, melhorando o quadro da assistência sanitária, distribuição de energia elétrica e consumo de água potável.
O representante do município do Bolongongo, José Carlos, disse que a vila possui vários pontos de atracção turística e cultural, como o centro turístico das margens do rio Cuale, localizado a  sete quilómetros da sede, além da Pedra do Feitiço.
Para José Carlos, os centros turístico são pouco conhecidos, resultado do mau estado da via de acesso que liga os municípios de Bolongongo e Samba Caju, numa extensão de 45 quilómetros.
Em Bolongongo, disse, a produção agrícola aumenta a cada dia, mas, o grande problema está relacionado com o escoamento deficiente dos produtos do campo para a cidade, resultante do mau estado das vias, atrapalhando, deste modo, as trocas comerciais.
A falta de uma instituição bancaria e de energia elétrica agravam a situação no município. Pimentel da Conceição, professor no município de Cambambe, apontou o turismo cultural e fluvial, a par das indústrias têxteis e de bebidas e  da barragem de Cambambe como os grandes factores de desenvolvimento  económico e produtivo da região.
“Temos uma barragem no nosso município, mas   pagamos a energia ao valor de 3.500 kwanzas, importância que achamos exagerada”, disse.Maria Bernadete, também em representação ao município de Cambambe, defendeu a   criação de centros infantis e creches nas regiões, para  garantir melhor sustentabilidade da educação na primeira infância, tendo socitado  estímulos e condições materiais que atraiamos quadros para os municípios.

Governo provincial

Walter Pimenta, representante do Governo da província, disse que o principal factor de desenvolvimento das comunidades é o homem, por ser o único ser que reúne as faculdades psicológicas e técnicas para a exploração e transformação dos recursos naturais, mas que, para tal, é necessário a sua formação.
Walter Pimenta disse que o Governo da província está a criar projectos e planos reais para a melhoria da qualidade de vida das comunidades rurais, mas que, referiu,para o cumprimento de tal desiderato é necessário idade da participação directa da população, por meio de sugestões e ideias, por formas a permitir a materialização de uma governação participada. Em relação ao cumprimento da autonomia financeira às administrações municipais, o representante do governo da província disse que tal itenção pode ser materializada com a  realização periódica de eleições autárquicas.
Walter Pimenta admitiu existirem na província vários quadros do sector da Saúde com competências qualificadas, mas é importante que aumentem o número de ténicos para fazer frente à procura.
Nesta pespectiva, garantiu que o Governo da província e o Ministério da Saúde trabalham para a inserção de novos profissionais, além da vinda de mais ambulância que  chegam à província.Na opinião de Walter Pimenta, cada cidadão é um potencial investidor, razão pela qual todo munícipe devem criar projectos para investirem nas áreas de produção do café, girassol, abacaxi, entre outros. 
A conferência provincial de quadros do Cuanza-Norte observou a exiguidade de quadros competentes nos diversos sectores da Administração Pública, a pouca capacidade de atracção de investidores, a exploração de recursos naturais, bem como da fraca visão por parte dos quadros existentes.

Tempo

Multimédia