Províncias

Estado da via compromete vida da região

Manuel Fontoura| Ngonguembo

O mau estado da estrada de acesso à sede do município do Ngonguembo e a outras localidades do Kwanza-Norte está na origem do fraco desenvolvimento da região.

A empresa Embodex encarregue da reabilitação da estrada afirma que a paralisação dos trabalhos se deve a problemas financeiros
Fotografia: Jornal de Angola

A circulação na estrada que liga a vila do Ngonguembo ao município do Golungo Alto e as secundárias que vão da sede às comunas de Camame e Cavunga é feita com muita lentidão, devido às péssimas condições em que se encontram e também pela degradação da ponte sobre o Rio Zenza.
Na estrada entre Golungo Alto e Ngonguembo foram apenas asfaltados 18 quilómetros, restando 35 da empreitada, o que obriga os automobilistas a grandes manobras para conseguirem percorrer o troço. Devido às frequentes chuvas, as viaturas atravessam um lamaçal esburacado que obriga a uma marcha lenta de veículos pesados e ligeiros.
Há dois anos, uma empresa deu início à execução das obras de reconstrução desta estrada, mas os trabalhos não foram concluídos devido à falta de financiamento e estão parados desde finais do ano passado. As chuvas desfizeram o trabalho preliminar realizado e a lama passou a invadir a estrada, dificultando a circulação de camiões e máquinas.
“Durante o tempo seco, apesar da estrada estar má, é relativamente fácil chegar ao nosso município. Portanto, o tempo chuvoso é que nos preocupa mais, porque a vila fica totalmente isolada e sem meios para prosseguir a sua marcha normal”, disse Osvaldo António José. O jovem conta que no município é quase impossível circular quando chove muito, e nem sequer os camiões conseguem transpor a elevação acentuada de algumas zonas.
A empresa Embodex, encarregue da reabilitação da via, afirma que a paralisação se deve a problemas financeiros e que estes vão ser concluídos assim que a situação estiver resolvida.
Numa visita efectuada ao troço considerado crítico, em meados deste ano, o governador do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, ficou impressionado com o trabalho que estava a ser executado, considerando excelente a obra de engenharia para o desenvolvimento da terra. Infelizmente, disse o governador, devido a questões da não inclusão dos valores necessários no orçamento deste ano, pelo Ministério da Construção, foi necessário paralisar os trabalhos.“É um problema que já se arrasta há muito tempo.
Temos recebido delegações do município, em especial autoridades tradicionais, que precisam de ver este problema resolvido e o Governo Provincial vai fazer tudo, junto das estruturas competentes, para dar uma volta à situação ”, garantiu.
Henrique André Júnior considerou Ngonguembo um dos municípios mais isolados da província, sobretudo no tempo chuvoso, situação que preocupa as autoridades locais, que têm previstas acções de desenvolvimento para o município, mas o estado em que se encontra a estrada inviabiliza o andamento de qualquer projecto.
O governado da província espera que no próximo ano os troços Golungo Alto-Ngonguembo e Cambondo-Ngonguembo possam ser incluídos no Programa de Investimentos Públicos, além do troço que liga as comunas da Cerca-Cavunga, Ngonguembo-Bula-Tumba (Bengo), para que a região dos Dembos esteja interligada com estradas boas.

Tempo

Multimédia