Províncias

Estudantes em turismo ecológico

André Brandão| Ndalatando

Crianças das províncias de Luanda e Kwanza-Norte participam desde domingo em Ndalatando, na nona edição do plano de férias de estudantes, numa iniciativa da direcção do Museu Nacional de História Natural e com o apoio do Governo Provincial.

Alunos do primeiro e segundo ciclo na província do Kwanza-Norte têm como visita vários locais
Fotografia: André Brandão| Ndalatando

Crianças das províncias de Luanda e Kwanza-Norte participam desde domingo em Ndalatando, na nona edição do plano de férias de estudantes, numa iniciativa da direcção do Museu Nacional de História Natural e com o apoio do Governo Provincial.
A actividade vai durar cinco dias e conta com 61 crianças vinda de Luanda e 30 da província do Kwanza-Norte, com idades compreendidas entre os seis e os 14 anos. Os participantes no "plano de férias" estão hospedados nas instalações do Instituto Médio Agrário do Camuaxi, a 14 quilómetros da cidade de Ndalatando.
As crianças vão fazer visitas às instalações do Instituto Médio Agrário, ao campo agrícola, à pediatria do Hospital Provincial, vão ter aulas de educação ecológica e ambiental e vão plantar dezenas de árvores.
Os participantes no "plano de férias" vão igualmente participar um torneio quadrangular de futsal. Nos momentos de lazer, vão ouvir e contar estórias e fábulas. Os participantes vão também participar numa palestra sobre os direitos da criança.
No programa estão previstas excursões ao estaleiro da construtora Angolaca, à fábrica de água Cristalis na Fonte de Santa Isabel, ao centro botânico do Kilombo e ao município do Lucala.
Do programa também consta uma prova de atletismo, declamação de poemas, concursos de cultura geral, canto, dança, palestras sobre higiene, prevenção de doenças e no fim há uma cerimónia de distribuição de prémios.
Na abertura do "plano de férias", as crianças agradeceram a forma como foram recebidas pelos membros do Governo Provincial e manifestaram vontade de conhecer lugares turísticos, educativos, científicos e culturais da região.
De acordo com o chefe do Departamento de Acção cultural do Museu Nacional de História Natural, Cortez Cristóvão, o objectivo principal do plano de férias é tirar as crianças da capital para outras áreas do país, para que elas tenham noção de que Angola não é apenas Luanda.
Acrescentou que a sua direcção propôs aos governos provinciais, da Huíla, Malange, Uíge e Kwanza-Sul, para que a décima edição do plano de férias se realize numa destas províncias. Os responsáveis da iniciativa pensam também internacionalizar esta edição para a República da Namíbia.
Cortez Cristóvão disse que está tudo preparado em termos de alojamento e alimentação. A assistência médica e medicamentosa também está garantida pelas autoridades locais e os primeiros socorros são assegurados por um médico proveniente de Luanda.
Para a participação dos alunos no "plano de férias", a direcção do Museu Nacional de História Natural divulgou em Novembro, através das escolas e na rádio, as modalidades de participação das crianças. Os pais das crianças apuradas pagaram 25 mil Kwanzas cada, para a sua estada.
A directora do Museu Nacional de Historia Natural, Ana Paula Correia Vítor disse à nossa reportagem que o plano de férias está a resultar, porque está a levar muitas crianças a conhecer outras regiões do país, familiarizando-as com a realidade social e cultural de cada província.
Os passeios turísticos, recreativos e instrutivos estão a ser possíveis graças ao apoio do Governo Provincial do Kwanza-Norte, educadores, pais e à direcção do Instituto Médio Agrário e especialmente ao apoio do governador provincial, pela forma como respondeu ao pedido da sua direcção.
Ana Paula Correio Vítor disse que o projecto faz parte do instrutivo do Ministério da Cultura.
Em nome do governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, o vice-governador para a área social e política, José Alberto Kipungo, na abertura do "plano de férias", disse que "é preciso prestar mais atenção às crianças e dar-lhes tudo o que elas merecem porque são o futuro da nação".
O vice-governador garantiu dar todo o apoio às crianças durante o tempo que permanecerem no Kwanza-Norte.

Tempo

Multimédia