Províncias

Falsários na cadeia

Silvino Fortunato | Ndalatando

Uma rede que se dedicava à falsificação de certificados académicos no Cuanza Norte foi desmantelada, depois da detenção, em Ndalatando, de três dos seus presumíveis principais mentores.

A rede de falsificadores foi desmantelada na cidade de Ndalatando depois de uma denúncia
Fotografia: José Soares

Durante a operação, que conduziu à detenção dos três indivíduos, foram apreendidos 12 certificados falsos do ensino médio e fotocópias de bilhetes de identidade em casa de dois detidos, identificados por Claudino Nogueira Valeto, 25 anos, e Manuel do Nascimento Cabeia, mais conhecido por Marujo, 30 anos.
O porta-voz do comando provincial da Polícia Nacional, Gaspar José, referiu que Manuel Cabeia, suspeito de ser líder do grupo, foi funcionário do Instituto Médio Normal de Educação Comandante Benedito, de onde tirou, com o recurso a uma pen-drive, os modelos de certificados e declarações. As detenções, acrescentou o Gaspar José, foram feitas depois de as autoridades policiais terem recebido denúncias sobre a existência de certificados falsos entregues por candidatos ao concurso de admissão na Função Pública, realizado pelo Governo Provincial do Cuanza Norte em finais de Abril.
As diligências desenvolvidas pela Polícia levaram à apreensão de um certificado falso da 12ª classe, passado em nome de António Joaquim Quimuanga Nvunda, de 23 anos, que estava no lote da documentação referente ao concurso público.
A descoberta permitiu aos especialistas de investigação criminal concluírem que o documento em causa foi produzido pela rede de falsificadores já desmantelada.

Tempo

Multimédia