Províncias

Falta de meios para prevenção de doenças e acidentes de trabalho no Kwanza-Norte

Marcelo Manuel | Ndalatando

A falta de meios técnicos adequados para a prevenção de acidentes de trabalho e doenças profissionais, por parte das empresas de construção civil que operam em Ndalatando, província do Kwanza-Norte, está a inquietar a direcção provincial da Administração Pública Emprego e Segura Social.

A falta de meios técnicos adequados para a prevenção de acidentes de trabalho e doenças profissionais, por parte das empresas de construção civil que operam em Ndalatando, província do Kwanza-Norte, está a inquietar a direcção provincial da Administração Pública Emprego e Segura Social.
De acordo com a inspectora chefe do MAPESS naquela província, Maria Manuel Ricardo, que falava sexta-feira ao Jornal de Angola, este facto foi constatado durante as visitas e palestras efectuadas por 122 funcionários às referidas construtoras, durante a 16ª semana de inspecção nacional.
A responsável frisou que as acções visaram, essencialmente, desencorajar empresários que se preocupam apenas com o lucro, sem terem em atenção as questões ligadas à necessidade de protecção da integridade física do trabalhador no ambiente de trabalho.
“A produtividade não passa apenas pelos bons salários, é preciso que haja boas condições de trabalho, qualidade dos equipamentos de serviço, seja de uso colectivo seja individual”, sublinhou a inspectora do MAPESS.
Segundo Maria Ricardo, em algumas empresas detectou-se, além de muitos casos de falta de qualidade em certos equipamentos de segurança, que estes meios existem em poucas quantidades.
Durante as inspecções, salientou, não houve a aplicação de qualquer multa. As repreensões foram apenas de carácter apelativo, com vista a tomada de consciência por parte das empresas sobre a importância do uso dos equipamentos de segurança.
Aos responsáveis de empresas, em que se labuta directamente com o fogo e poeira, a inspectora aconselhou a promoção do seguro de saúde e inspecções médicas, de forma periódica, para se evitar dispensas laborais, em consequência de doenças profissionais, como a tuberculose e outras infecções.
A responsável chamou a atenção dos empregadores sobre a responsabilidade no tratamento das enfermidades adquiridas no serviço, de formas a evitar o surgimento de conflitos. Para  Agosto, o departamento de inspecção  prevê efectuar um ciclo de palestras.

Tempo

Multimédia