Províncias

Falta de verbas condiciona conclusão das obras da Urbanização do Cazengo

Marcelo Manuel | Ndalatando

A falta de  pagamento aos empreiteiros que estão a construir a Urbanização do Cazango, em Ndalatando,  pode adiar a conclusão das obras prevista para Junho de 2020.

Fotografia: DR

O facto foi constatado durante a visita que o governador provincial do Cuanza-Norte, Adriano Mendes de Carvalho,  efectuou ao local das obras, com a finalidade de se inteirar sobre o andamento dos trabalhos.
 O projecto, confundido por muitos cidadãos locais, como centralidade, começou a ser erguido em Março de 2018, e está orçado em  pouco mais de seis mil milhões de kwanzas. O Jornal de Angola apurou que o Executivo só possui ainda um por cento deste montante.
Numa primeira fase vão ser construídos 14 edifícios, com quatro andares cada,  que vão  perfazer 212 edifícios residenciais, na maioria do tipo T-3, a par das áreas comerciais e administrativas.  Na segunda fase, está prevista  a construção de 26 edifícios.
O director de obras, Rui Campos, frisou que o mau estado das vias de acesso ao local do projecto, associado à falta de água, afiguram-se como os principais  obstáculos à conclusão das obras.
Os edifícios estão a ser erguidos numa área  de seis hectares, com a participação de 110 jovens trabalhadores habitantes da região, entre ferreiros, carpinteiros e pedreiros. O número de funcionários pode crescer de acordo com o aumento do volume de trabalho.

Tempo

Multimédia