Províncias

Famílias carentes têm apoio

Manuel Fontoura | Ndalatando

Um total de 25.796 pessoas carenciadas recebeu bens diversos da direcção provincial da Assistência e Reinserção Social (MINARS) no Kwanza-Norte, durante o primeiro semestre do ano.

As pessoas em situação de vulnerabilidade na província do Kwanza-Norte têm recebido vários apoios do governo e parceiros sociais
Fotografia: Manuel Fontoura | Ndalatando

A entrega dos donativos insere-se no programa de apoio às pessoas com elevado grau de vulnerabilidade, salientou em Ndalatando a directora provincial do MINARS, Lídia Martins.
A responsável realçou o apoio directo a 2.176 pessoas portadoras de deficiência, 9.489 idosos, 6.281 crianças órfãs, 2.911 chefes de família de baixa renda, 241 mães solteiras, 924 pessoas desamparadas e 924 menores que frequentam creches, centros infantis e escolares comunitários. O MINARS deu igualmente apoio a 507 viúvas, 87 regressados da República do Congo, Botswana e Namíbia, além de 25 refugiados e 2.205 desmobilizados ao a­brigo dos protocolos de Bicesse, Lusaka e Memorando de Entendimento do Luena.
A instituição tem a seu cargo 57 crianças órfãs, nove trigémeos, 16 meninos infectados pelo vírus da sida e 20 outras vulneráveis, que beneficiam com regularidade de leite.
Há ainda 190 idosos apoiados com produtos alimentares pelo MINARS e outros pela empresa Pumangol. Ainda no domínio da assistência social, foram beneficiadas 135 pessoas, sendo 112 com muletas e 23 com cestas básicas. Um total de 116 pessoas infectadas com VIH, das quais 16 crianças, também receberam apoio material.
A directora do MINARS disse que 252 pessoas de baixa renda receberam 228 kits profissionais para mecânicos, electricistas, pedreiros, barbeiros e canalizadores, além de chapas de zinco. Para este ano, o MINARS pretende dar sequência ao alargamento dos programas infantil e escolar comunitários (PIC/­PEC), bem como a criação de condições para a construção de um abrigo de acolhimento provisório para crianças e outras pessoas vulneráveis em trânsito na província.
A instituição vai continuar a prestar assistência às pessoas infectadas com o vírus da Sida, apoiar à chegada as famílias provenientes do Congo Democrático e entregar cestas básicas às pessoas vulneráveis.
A criação de condições a favor da criança e do adolescente, assim como a identificação de mais ex-militares e a preparação de projectos para assistir cerca de mil ex-soldados fazem parte das acções para os próximos tempos.

Tempo

Multimédia