Províncias

Formação na saúde reduz a mortalidade

André Brandão| Ndalatando

O vice-governador para a Área da Organização e Serviços Técnicos, José Alberto Kipungo, afirmou ontem que a redução da mortalidade infantil passa por dotar os técnicos de saúde de uma formação específica.

Vice-governador José Kipungo quando discursava sobre redução da mortalidade infantil
Fotografia: André Brandão

O vice-governador para a Área da Organização e Serviços Técnicos, José Alberto Kipungo, afirmou ontem que a redução da mortalidade infantil passa por dotar os técnicos de saúde de uma formação específica.
No discurso que pronunciou no seminário regional sobre auditoria da mortalidade materna e perinatal, José Alberto Kipungo afirmou que o país está a desenvolver projectos e programas dirigidos ao sector da saúde. Assim, no decurso deste ano, o governo vai aumentar as infra-estruturas sanitárias, aprovar políticas de saúde e farmacêutica, a carreira de enfermagem, o regulamento das actividades medicamentosas, o documento de gestão hospitalar e outros serviços.
O governante considerou que, nos últimos tempos, os níveis de saúde materno-infantil melhoraram no país, sobretudo no que se refere à taxa de mortalidade materna, diminuiu de 1.400 mortes para 600.
Quanto à mortalidade infantil e infanto-juvenil, o índice reduziu de 150 para 116 casos, e os 250 óbitos registados anteriormente baixaram para 194, num total de mil nados vivos.
Segundo o vice-governador, nos últimos dois anos a província do Kwanza-Norte aumentou o número de infra-estruturas sanitárias, o que melhorou a qualidade da assistência médica e medicamentosa, ao proporcionar mais acesso da população aos serviços de saúde.
Para os próximos dois anos, o governo estabeleceu aumentar para 33 o número de salas de seguimento pré-natal e planeamento familiar e para 29 os serviços de VIH/Sida.
José Kipungo explicou que o governo provincial vai implementar o programa da redução acelerada da mortalidade materno-infantil e já foram constituídos comités provinciais, municipais e locais de auditoria e prevenção das mortes maternas, neonatais e infantis.
A província dispõe, actualmente, de 18 unidades de seguimento pré-natal, 43 postos de vacinação fixos, 12 salas de parto, igual número de serviços de VIH/Sida.
O encontro tem a duração de três dias e reúne directores, membros e técnicos de diferentes áreas de saúde das províncias do Kwanza-Norte, Malange, Uíge e Bengo.

Tempo

Multimédia