Províncias

Fortes chuvas no Cazengo deixam pessoas ao relento

André Brandão | Ndalatando

Um total de 249 pessoas ficou sem abrigo no Cuanza Norte, em consequência das fortes chuvas que se abateram nos últimos três meses, revela um relatório dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, divulgado ontem, em Ndalatando.

Fotografia: WWW.JAIMAGENS.COM

As chuvas destruíram 49 casas, enquanto outras 112 correm o risco de desabar no município de Cazengo, onde também ruíram três escolas.
No município de Ambaca, ficaram destruídas 46 casas e uma sala de aula, enquanto no Dondo uma pessoa morreu, depois de um muro ter desabado sobre ela.
No município do Lucala, há 23 casas em risco de inundação, nos bairros CTT e Zona A, caso o rio transborde.
Para a assistência aos sinistrados, foram entregues 2.500 de chapas de zinco e nove atados de roupa usada.
No âmbito da comissão executiva provincial de Protecção Civil, foi realizada uma visita à empresa Hiper Máquinas Angola, Lda., com o objectivo de garantir a segurança das pessoas, principalmente no que se refere a afogamentos em represas, criadas pelas instituições de exploração de inertes.
Durante o mesmo período foram registados 30 incêndios de pequena e média proporções, que causaram danos materiais calculados em 1,791 milhões de kwanzas. Os incêndios ocorreram no município de Cazengo, com 18 incêndios, Cambanbe,  com oito, Lucala (três) e Golungo Alto (um). Na origem dos sinistros estiveram curto-circuitos, fogo posto e causas acidentais, tendo sido afectadas residências, transportes e sistemas eléctricos, campos agrícolas e serviços de comunicação.
O corpo de bombeiro  registou ainda 12 mortes por afogamento, sendo nove no Cazengo, dois em Cambambe e um no Lucala, com ocorrências registadas nos rios Cuanza e Lucala, nas represas e poços. As vítimas eram confeccionadores de adobes e pessoas que extraíam inertes.
No mesmo período, as chuvas provocaram ainda a queda de oito árvores, nos municípios de Cazengo e Cambambe, e registaram-se seis invasões de enxames de abelhas, um derrame de combustíveis, e um suicídio.
Os bombeiros intervieram ainda para socorrer vítimas de 23 acidentes de trânsito, nos municípios de Cazengo, Cambambe, Lucala Golungo Alto, que provocaram a morte de 13 pessoas e 59 feridos.
Houve também uma electrocussão, que resultou num morto, em Cambambe, duas inundações, no Cazengo, e três desabamentos, no Dondo e Cazengo.

Tempo

Multimédia