Províncias

Fundação António Agostinho Neto está a promover estudos científicos

Silvino Fortunato | Ndalatando

A Fundação António Agostinho Neto pretende promover, este ano, várias acções de investigação histórica, visando contribuir para o desenvolvimento científico e cultural das localidades de Angola, anunciou na terça-feira, na cidade de Ndalatando, a sua presidente, Maria Eugénia Neto.

A Fundação António Agostinho Neto pretende promover, este ano, várias acções de investigação histórica, visando contribuir para o desenvolvimento científico e cultural das localidades de Angola, anunciou na terça-feira, na cidade de Ndalatando, a sua presidente, Maria Eugénia Neto.
O anúncio foi feito durante uma conferência sobre a vida e obra de António Agostinho Neto, que juntou estudantes, políticos e governantes, organizada pela fundação, em alusão ao 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional.
Maria Eugénia garantiu que a pesquisa histórica será o passo inicial de um conjunto de acções culturais que a fundação pretende realizar, a partir deste ano. Considerou, aliás, tratar-se de uma realização necessária, por contribuir para a consolidação das “nossas idiossincrasias, atravessadas por hiatos enormes, como a escravatura, a oralidade, a colonização, o analfabetismo e as guerras civis do pós-independência”.
Do leque de realizações culturais consta um festival cultural denominado “Festineto”, cuja primeira edição será feita num lugar do país ainda por determinar, por um período de uma semana, para homenagear e recordar todos aqueles que se dedicaram “com amor, paixão e perseverança ao sonho da liberdade e da independência”.
No “Festineto” será realçada a figura de António Agostinho Neto, falecido há 32 anos.
O governador do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, enalteceu as iniciativas da fundação que, disse, vão galvanizar as realizações que o governo implementa em prol do fundador da nação. Além disso, elogiou a ida à circunscrição da presidente da Fundação António Agostinho Neto e considerou que a mesma se reveste de um significado memorável. “Esta importante visita constitui, para nós e para os cidadãos deste território, um motivo de grande satisfação e de elevado orgulho”, disse o governador.
Henrique André Júnior referiu que os subsídios apresentados na palestra forneceram à juventude novos ensinamentos e aprendizagens dos valores nobres, “que permitiram a Agostinho Neto libertar o nosso povo”.
Kilamba Kiaxi, cognome de Agostinho Neto, foi um prestigiado dirigente e líder, que sempre soube interpretar fielmente as necessidades e aspirações das massas, disse o governador, acrescentado que, sob a sua direcção, o povo angolano tomou o poder das mãos do colonialismo e conquistou a condição indispensável para o desenvolvimento da Nação.
A palestra, dirigida pelos oradores Artur Filipe Vidal e António José João Ngunza, foi organizada pela Fundação António Agostinho Neto, em alusão à semana do Herói Nacional, que decorre de 10 a 17 de do corrente mês.

Tempo

Multimédia