Províncias

Governador provincial incentivou a produção

Marcelo Manuel | Ndalatando

O governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, defendeu em Samba-Cajú que as autoridades administrativas e tradicionais locais ajudem a população a diversificar a produção da mandioca, banana, café e milho.

Henrique André Júnior (à esquerda) pede a diversificação das culturas agrícolas nas comunidades
Fotografia: Nilo Mateus | Ndalatando

O governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, defendeu em Samba-Cajú que as autoridades administrativas e tradicionais locais ajudem a população a diversificar a produção da mandioca, banana, café e milho.
O dirigente fez o apelo durante a apresentação do novo administrador de Samba-Cajú, Mateus André Garcia, em substituição de João Leitão, que dirigiu a circunscrição durante quatro anos.
“A Administração do Estado em Samba-Cajú deve prestar uma atenção especial ao sector agrícola, de forma a incentivar e massificar a produção da mandioca, banana, café e milho, como principais culturas, para melhoria da qualidade de vida da população”, referiu.
A população deve colaborar com o novo administrador, no sentido de materializar os vários projectos em curso a nível da região, mormente ligados ao fornecimento de água potável, assistência médica e medicamentosa, educação, entre outros, disse o governador.
As várias entidades tradicionais mostraram-se preocupadas durante a cerimónia com a falta de abastecimento de água potável e energia eléctrica e construção de escolas de carácter definitivo em várias regiões do município.
O governador do Kwanza-Norte apresentou também o novo administrador da Banga, Manuel António de Sousa, que anteriormente ocupava o cargo de administrador municipal adjunto do Golungo Alto.
Na Banga, Henrique Júnior chamou a atenção dos vários gestores públicos presentes para investirem em projectos que visem o bem-estar da população.Os administradores devem adoptar uma gestão aberta e transparente para que tanto a população como os funcionários mais próximos possam, de forma simples, supervisionar as várias acções em curso nas comunidades, orientou Henrique Júnior.

Tempo

Multimédia