Províncias

Governo garante apoio aos idosos da província

Silvino Fortunato | Ndalatando e Juliana Domingos | Huambo

O Governo Provincial do Kwanza-Norte continua a proporcionar condições favoráveis que garantam um nível de vida aceitável às pessoas da terceira idade, disse o governador.

Executivo e a sociedade têm o dever e a obrigação de cuidarem e apoiarem os idosos um pressuposto para se respeitar o próprio futuro
Fotografia: João Gomes

Henrique André Júnior, que falava num convívio proporcionado aos idosos, afirmou que esta camada da sociedade sempre esteve na primeira linha das preocupações das autoridades.
O governador provincial disse que se deve aproveitar a data (30 de Novembro) para se reflectir sobre aquilo que se fez e o que ainda se pode fazer em prol do idoso.
O Governo Provincial vai continuar a aproveitar as sábias palavras dos mais velhos no momento de traçar as políticas dedicadas aos idosos e ao desenvolvimento da província.
Henrique André Júnior disse aos mais jovens que a sua afirmação na sociedade deve ser feita com o contributo dos mais velhos, por causa da sua experiência, ganha ao longo da vida.
O responsável pediu para que se faça uma frente unida visando ensinar e consciencializar os jovens a compreenderem que o caminho da vida sempre se fez com dificuldades e que as coisas nunca foram feitas de um dia para o outro.
Numa mensagem apresentada durante o banquete, os idosos reconheceram as realizações empreendidas pelo Governo Provincial a seu favor.
O Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS) entregou vestuários e outros bens diversos aos mais de 200 idosos que estiveram no almoço. Entretanto, os idosos do lar da terceira idade da Chivela, arredores da cidade do Huambo, estão melhor acomodados, com a reinauguração das estruturas físicas.
O vice-governador para o sector económico, Francisco Fato, afirmou que a reinauguração do lar de terceira idade mostra a preocupação das autoridades em dar maior dignidade aos idosos.
De acordo com Francisco Fato, a sociedade tem o dever de organizar-se para cuidar dos idosos, um pressuposto para se respeitar o próprio futuro. O governante apelou à sociedade no sentido de mudar a atitude em relação a este estrato social, com vista a um envelhecimento em segurança e com dignidade.O lar tem a capacidade de albergar 35 idosos e neste momento acolhe 23, entre mulheres e homens, em regime de internato.
A directora provincial do Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS), Maria Lucília,

Benguela

Governo da provínciade Benguela apoia idosos carentes, num total  de 164 que  vivem em situação de pobreza, beneficiado de apoio alimentar, assistência médica e medicamentosa e acolhimento em dois centros,  informou a directora Provincial da Assistência e Reinserção Social.Marinela Sendala dissertava sobre o tema “Garantir ao idoso uma velhice sadia é compromisso de toda a sociedade”, a propósito do dia do idoso em Angola, informando que a terceira idade é um dos grupos mais vulneráveis no contexto da pobreza, daí a atenção que o Executivo lhe concede a fim de minimizar as dificuldades a que está sujeito e que se agravam com a desestruturação das famílias.
A directora Provincial da Assistência e Reinserção Social destacou estar a prestação social assegurada pelas autoridades a ser complementada pela solidariedade de diversas organizações da sociedade civil e de pessoas singulares, que regularmente fazem doações aos lares que albergam idosos.
Existem 31.704 idosos na comunidade, um número elevado, referiu Marinela Sendala, “o que exige tanto do Governo como da sociedade a conjugação de sinergias para que se continue a dar a essa franja uma assistência social adequada”.
A directora Provincial da Assistência e Reinserção Social sublinhou que o Estado angolano dispõe de mecanismos e meios de protecção dos idosos, entre eles a Lei de Base de Protecção Social.
“O governo está a trabalhar no sentido de apoiar cada vez mais a pessoa idosa. Mas é importante que cada cidadão contribua com o que tiver para a felicidade dos mais velhos”, frisou Marinela Sendala, ressaltando a importância do papel das igrejas, da sociedade civil e das autoridades tradicionais neste domínio.
Georgina Maria Magalhães, de 74 anos, moradora do Bairro Benfica, presente ao acto comemorativo do dia do idoso, reconheceu o trabalho do Executivo para minimizar as dificuldades dos idosos, mas chamou a atenção para as muitas pessoas da terceira idade que deambulam pelas ruas e pedem esmola confrontando-se ainda com acusações de feitiçaria.
A anciã apelou às autoridades competentes para acelerarem o processo de atribuição de subsídio à pessoa idosa, no âmbito da Lei de Protecção Social.
O Dia do Idoso em Angola foi instituído em 2004 por ocasião do Encontro Nacional sobre Protecção e Assistência à Pessoa Idosa, em Luanda.

 Com Angop

Tempo

Multimédia