Províncias

Grande investimento na produção de carne

Domingos dos Santos|

O director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural disse ao Jornal de Angola, à margem da inauguração do Perímetro Irrigado do Mucoso, Cambambe, que o sector agro-pecuário é incrementado este ano no Cuanza Norte, no âmbito do Programa de Combate à Pobreza.

Cuanza Norte investe na produção de carne
Fotografia: Paulo Mulaza

Humberto Mesquita anunciou que o projecto avícola, que é inaugurado em breve e onde vão ser criadas mais de 600 mil galinhas, já tem as fábricas de ração e as naves concluídas.
No município de Ambaca, acrescentou, está a em fase experimental o programa de desenvolvimento de Camabatela, no âmbito do qual foram construídas infra-estruturas técnicas e administrativas e o repovoamento com milhares de bovinos, caprinos e suínos.
Em Março deve estar concluído o matadouro, com capacidade abater diariamente 300 bovinos e caprinos.
“A ideia não é apenas termos muitas cabeças de gado, mas produzir carne que possa abastecer o mercado nacional”, disse Humberto Mesquita, que sublinhou que o clima, o relevo do terreno, a vegetação e a água favorecem esta actividade no Planalto de Camabatela. Um centro para a criação de peixes, plantas e moluscos aquáticos vai ser inaugurado no Mucoso, numa área com capacidade de produzir dois milhões de larvas por ano.
“A piscicultura, além de ser uma excelente fonte de renda para os criadores, é uma alternativa à pesca tradicional e não causa grandes impactos ambientais”, referiu. Em ambientes controlados, como os lagos, salientou, não há impacto algum sobre o meio ambiente.
A execução do Programa de Aquisição de Produtos Agro-pecuários (PAPAGRO) no Cuanza Norte tem registado “alguns problemas” na cadeia de produção e comercialização.
“O PAPAGRO começou com uma certa regularidade, mas agora o transporte não é feito de forma regular, bem como os pagamentos”, lamentou o director da Agricultura e Desenvolvimento Rural, mas garantiu tratar-se de “uma situação que está a ser ultrapassada”.

Venda de produtos agrícolas

O director provincial da Agricultura declarou que está previsto abrir centros de venda de produtos agrícolas em Cambondo e no Lucala. Com estes eixos bem estruturados, disse, os problemas do PAPAGRO são ultrapassados.
Humbero Mesquita sublinhou que o PAPAGRO “trouxe vida aos camponeses” e que as cooperativas continuam a manifestar interesse em vender os produtos, que muitas vezes eram guardados e acabavam por se estragar.
Está também para breve a abertura das lojas Paparoca, nos municípios de Cambambe, Lucala, Ambaca e Samba Cajú, para a venda apenas de produtos “feitos em Angola”.
O problema que preocupa os agricultores é o mau estado das vias de comunicação. Por essa razão, dentro do Programa de Investimentos Públicos, vão começar a ser reabilitadas as vias de acesso ao município de Cambambe, o mais agrícola do Cuanza Norte. “As vias de acesso têm sido um dos nossos maiores problemas, mas este ano vão melhorar”, prometeu.

Tempo

Multimédia