Províncias

Habitantes da cidade de Ndalatando elogiaram actividades desenvolvidas

Kátia Ramos | Ndalatando

Moradores dos bairros periféricos de Ndalatando elogiaram as actividades de limpeza desenvolvidas em valas de drenagem, riachos e cacimbas, pelos agentes comunitários da Direcção Provincial de Saúde.

Uma das ruas da cidade de Ndalatando onde o saneamento básico está a melhorar
Fotografia: Nilo Mateus

Moradores dos bairros periféricos de Ndalatando elogiaram as actividades de limpeza desenvolvidas em valas de drenagem, riachos e cacimbas, pelos agentes comunitários da Direcção Provincial de Saúde. As acções provocaram a diminuição, nos últimos tempos, dos índices de diarreias agudas nas suas comunidades. Os agentes realizam também palestras e ensinam normas de convivência comunitária, no seio das famílias.
As acções são desenvolvidas nos bairros de Catome de Baixo e de Cima, São Filipe, “Ndalatando”, Tala Hadi, Kilembequeta, Che Guevara, Pedreira, Sassa II e Cais. A essência deste trabalho consiste em passar informações sobre o uso adequado do mosquiteiro e a importância do tratamento da água.
Joana Martins, 34 anos, mãe de quatro filhos, reconheceu a importância da actividade de um agente comunitário.
Disse que hoje abre as portas da sua casa aos agentes, por saber que prestam informações precisas aos agentes de saúde e recebem informações para os cuidados da saúde da sua família. Lourenço Filomeno, estudante de 19 anos, residente na comunidade de São Felipe, em Ndalatando, ficou surpreendido positivamente com o trabalho levado a cabo pelos agentes comunitários, principalmente no que toca à remoção de grandes quantidades de lixo em valas, locais onde muitas crianças brincam, mesmo no tempo de chuva.
Gaspar Neto, um dos agentes comunitários, disse que os trabalhos foram executados conjuntamente com a Direcção Provincial da Saúde e dos sobas dos bairros envolvidos. Acrescentou que a população tem sido informada sobre os objectivos do projecto, durante o período de registo das famílias.
A nível das comunidades, foi realizado o levantamento das crianças que não aderiram aos últimos serviços de vacinação e àquelas que vivem sem cuidados médicos e hospitalares.
A coordenadora do projecto, Analu Correia, informou que os agentes comunitários da saúde já percorreram 13 bairros da cidade de Ndalatando, onde registaram 27.513 populares. O projecto “Agentes Comunitários” é dirigido para a prevenção de doenças e promoção da saúde, o que constitui uma importante estratégia de atenção primária para a redução da mortalidade materno-infantil.

Tempo

Multimédia