Províncias

Hospital do Cazengo com mais afluência

A melhoria da assistência médica e medicamentosa, assim como o atendimento humanizado dos pacientes fez aumentar a procura dos serviços do Hospital Municipal do Cazengo, em Ndalatando, no Cuanza Norte, disse o director-geral da unidade sanitária.

José Martins referiu à Angop, a propósito da actividade da instituição, o papel do corpo clínico, em particular dos enfermeiros e médicos, que têm primado pela humanização do atendimento aos pacientes que ali se deslocam.
“Agradeço muito aos nossos pacientes por procurarem a nossa unidade hospitalar. Isso mostra-nos a confiança que os utentes depositam nos nossos profissionais de saúde e nos serviços que prestamos”, salientou. O director-geral da unidade sanitária considerou que a confiança dos pacientes se deve, ainda, à cordialidade do atendimento e humanismo dos profissionais, assim como à criação de novos serviços, o que permitiu fidelizar os utentes ao hospital.
Neste sentido, o responsável pediu aos técnicos de saúde da instituição para melhorarem cada vez mais as condições de assistência aos pacientes, tendo em vista a satisfação cada vez maior das necessidades indispensáveis aos utentes.
 Com uma capacidade de internamento de 70 camas, a unidade hospitalar do Cazengo realiza, em média, 200 consultas por dia. O Hospital Municipal do Cazengo dispõe actualmente dos serviços de banco de urgência, farmácia, consultas externas, medicina, pediatria, ginecologia e obstetrícia.
Dispõe ainda de uma morgue, sala de parto, consultas pré-natal, imunização, cuidados intermédios, laboratório, imagiologia, testagem voluntária e aconselhamento do VIH-Sida.
Dentro em breve, prevê-se a abertura a abertura dos serviços de hemoterapia e o bloco operatório que vão melhorar ainda mais os serviços prestado à população. Um total de 138 funcionários, entre os quais 12 médicos e 92 enfermeiros, asseguram actualmente o funcionamento da unidade sanitária.

Tempo

Multimédia