Províncias

Hospital provincial vai ser ampliado

Kátia Ramos| Ndalatando

O Hospital Provincial do Kwanza-Norte será reabilitado, ampliado e remodelado, a partir deste ano, através de um programa conjunto do Governo central e provincial, anunciou na terça-feira, em Ndalatando, o director-geral da instituição, Justino Tchekenje.

Um ângulo do Hospital Provincial que vai entrar em obras para melhorar o atendimento
Fotografia: Nilo Mateus| Ndalatando

O Hospital Provincial do Kwanza-Norte será reabilitado, ampliado e remodelado, a partir deste ano, através de um programa conjunto do Governo central e provincial, anunciou na terça-feira, em Ndalatando, o director-geral da instituição, Justino Tchekenje.
O trabalho de reabilitação e apetrechamento com tecnologia moderna vai ser iniciado antes do fim deste ano e visa a melhoria dos serviços de atendimento ao público.
As obras contemplam a criação de um espaço verde, ampliação do banco de urgência e das suas salas de internamento, da ortopedia e dos cuidados intensivos.
Para os trabalhos de reabilitação do hospital foram pré seleccionadas três empresas, que efectuam neste momento os levantamentos necessários.

Dificuldades

Justino Tchekenje disse que, neste momento, a equipa médica trabalha com muitas dificuldades nos serviços dos cuidados intensivos, em termos de equipamentos.
Informou que a construção de uma área própria para o atendimento de casos ligados à ortopedia vai melhorar o atendimento dos feridos, sobretudo resultantes de acidentes rodoviários, “agora muito frequentes”.
“O hospital tem um espaço reduzido para o atendimento de pessoas sinistradas em acidentes diversos”, explicou.  Além disso vivem problemas de aquisição de materiais gastáveis e outros equipamentos para essa área.
A unidade médica carece igualmente de aparelhos de diagnóstico sofisticados e de placas para cirurgias, o que obriga, muitas vezes, a evacuação de doentes para Luanda, o que deixará de acontecer quando o hospital for concluído, referiu.

Aumento de verba

Justino Tchekenje revelou que o Ministério da Saúde aumentou ultimamente de quatro para nove milhões de kwanzas o orçamento destinado à gestão do Hospital Provincial.
O aumento motivou a reabertura de muitos serviços que tinham sido encerrados e dinamizou aqueles que funcionavam de forma deficiente. O atendimento medicamentoso também melhorou.

Funcionamento do hospital

Actualmente, o hospital está a receber muitos casos de malária, doenças respiratórias agudas e diarreicas. Desde o mês de Janeiro, registou 2.776 casos de malária, que provocaram 83 óbitos. Em todo o ano de 2009, a mesma unidade cadastrou 7.030 casos de malária e 179 mortes.
As doenças diarreicas agudas atingiram os 2.738 casos e 13 mortes, a febre tifóide 2.196 e oito óbitos, as doenças respiratórias agudas 2.254 e 26 falecimentos, a hepatite 47 casos e 11 óbitos, a tuberculose 23 doentes e três mortos.
O responsável frisou terem registado um total de 6.133 internamentos e 226 falecimentos.
A pediatria, com 1.972 doentes, foi o sector que mais internamentos registou, com o falecimento de 19 crianças. Disse que muitos óbitos ocorreram por causa da chegada tardia dos doentes à unidade hospitalar e precisou que muitos faleceram em menos de 48 horas depois de serem hospitalizados.
Na maternidade do mesmo hospital foram efectuados, este ano, 1.494 partos.
Justino Tchekenje realçou que o hospital conta actualmente com 250 camas, distribuídas nos sectores de medicina, cirurgia, pediatria, ortopedia, obstetrícia, ginecologia, cuidados intensivos, serviços de observação e outros.
O médico frisou ser ainda reduzido o número de trabalhador (356) que atendem os diversos serviços do Hospital Provincial do Kwanza- Norte.

Tempo

Multimédia