Províncias

Hospital regional de Camabatela abre as portas no próximo ano

O hospital regional de Camabatela, no município de Ambaca, província do Kwanza-Norte, deve entrar em funcionamento em princípios de 2012, disse quarta-feira, em Ndalatando, o ministro da Saúde, José Van-Dúnem.

O hospital regional de Camabatela, no município de Ambaca, província do Kwanza-Norte, deve entrar em funcionamento em princípios de 2012, disse quarta-feira, em Ndalatando, o ministro da Saúde, José Van-Dúnem.
 O ministro disse à imprensa que a obra de construção civil está praticamente concluída e a instalação dos equipamentos termina em breve. Referiu que os únicos problemas ainda por solucionar e que condicionaram, até aqui, a sua entrada em funcionamento, prendem-se com o modelo de gestão a ser adoptado, e o recrutamento dos recursos humanos.
 O ministro salientou que estão em curso contactos com o Governo Provincial do Kwanza-Norte, para que haja uma abordagem “inovadora” na exploração da unidade, que pode ter um carácter regional.
 A solução da problemática dos quadros para a nova unidade passa pela existência, na região, de condições de atracção para os técnicos, que incluem alojamento condigno e outras condições.
 Por isso é imperioso melhorar as condições para a atracção das pessoas que queiram deslocar-se ao interior para ai trabalharem.
O novo hospital, cujas obras de construção começaram em Abril de 2008, tem capacidade para internar 70 pacientes e tem blocos operatórios, laboratórios, salas de Raio-X, refeitório, banco de urgência, morgue e outros serviços.
A unidade hospitalar vai assegurar a prestação de cuidados médicos à população local e dos municípios de Negage (província do Uíge) e Calandula (Malange), além de outros municípios vizinhos.
A infra-estrutura foi erguida numa área de 22.500 metros quadrados, estando as suas dependências divididas em dez blocos. O projecto integra igualmente 16 casas, construídas para os funcionários da unidade sanitária, área verde, ruas internas e parque de estacionamento.

Tempo

Multimédia