Províncias

Hospital registou centenas de ocorrências

André Brandão| Ndalatando

Mais de 140 pacientes foram atendidos durante a transição de ano no hospital provincial do Cuanza Norte, em consequência de acidentes de viação, agressões físicas e incidentes domésticos, que resultaram em um morto e oito internamentos.

Pacientes reconhecem melhorias no Hospital Central do Kwanza Norte no que concerne à assistência médica e medicamentosa
Fotografia: André Brandão|Ndalatando

O director clínico do hospital, Mbiavanga Eduardo Alves, disse que no dia 1 e 2 deste mês registou-se a entrada de 53 pacientes, dos quais 13 por acidentes de viação com viaturas, quatro com motociclos, seis por agressões físicas em casa e nove internamentos. Em relação ao ano passado, o banco de urgência atendeu 35.743 pacientes, dos quais 8.555 foram internados e com um registo de 200 mortes. O laboratório registou 43.890 casos, o serviço de hemoterapia 3.251 pessoas, com 1.850 transfusões, enquanto o bloco operatório realizou 2.563 pequenas e grandes cirurgias.
No balanço das ocorrência, o director clínico do hospital de Ndalatando referiu que o serviço de medicina realizou 13.458 consultas, pediatria atendeu 11.096 crianças com diversas patologias, estomatologia 4.486 pessoas, ortopedia 3.998 casos e oftalmologia 2.831. O médico indicou que a área de otorrinolaringologia assistiu 2.660 doentes, a psicologia médica recebeu 341 doentes e houve a lamentar a morte de uma criança, vítima de sarampo, dos 29 casos que deram entrada no hospital.
Mbiavanga Alves assinalou que a mudança de comportamento da população que procura com mais frequência os serviços médicos, assim como o aumento de novas dependências hospitalares, estiveram na origem da redução de casos de mortalidade por falta de assistência.
 O hospital provincial do Cuanza Norte funciona com 22 médicos, 250 enfermeiros e 100 trabalhadores de apoio, que têm procurado dar respostas as grandes enfermidades que se registam na província.

Tempo

Multimédia