Províncias

INADEC reforça medidas de prevenção

Marcelo Manuel | Ndalatando

 O núcleo provincial do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), no Kwanza-Norte, vai reforçar as medidas de prevenção e de combate aos estabelecimentos comerciais que continuam a vender sal não iodizado e produtos com os rótulos escritos em línguas estrangeiras.

 O núcleo provincial do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), no Kwanza-Norte, vai reforçar as medidas de prevenção e de combate aos estabelecimentos comerciais que continuam a vender sal não iodizado e produtos com os rótulos escritos em línguas estrangeiras.
O director provincial em exercício disse que o INADEC remeteu à direcção provincial da Agricultura uma lista de empresas importadoras de sal na província para que se possam controlar as qualidades comercializadas e detectado o sal impróprio para o consumo.
A nível da província, disse, está proibida a venda de produtos com rótulos em línguas estrangeiras
Manuel Jorge frisou que no ano passado foram aplicadas 21 multas, que resultaram na cobrança total de 508.600 Kwanzas.
As medidas cautelares, referiu, também vão abranger os comerciantes que vendem a retalho sem balanças.

Várias dificuldades

O INADEC no Kwanza-Norte tem dificuldades em executar os vários projectos em carteira, que pretendem, fundamentalmente, a mudança de atitude dos agentes comerciais.
O INADEC, afirmou Manuel Jorge, precisa de mais fiscais, meios técnicos e financeiros e transportes. O instituto sobrevive das receitas das multas aplicadas.
Boa parte das pessoas da cidade de  Ndalatando desconhece os serviços prestados pelo INADEC a nível da província.
O Jornal de Angola ouviu 40 pessoas sobre o assunto, 30 das quais desconheciam a existência do núcleo do INADEC na província.
Catarina Benedito conta que uma vez comprou um pacote de papa para o filho. Já em casa, apercebeu-se que faltavam poucos dias para expirar o prazo de validade. Voltou à loja, mas foi-lhe negado o pedido de devolução do dinheiro.
“Perdi o dinheiro por não saber que havia aqui um núcleo do Instituto de Defesa do Consumidor”.
Para promover a instituição, o núcleo do INADEC forneceu à direcção provincial de Educação um dossier com informações acerca do funcionamento do instituto na província, que vão ser divulgadas nas escolas.
Com o mesmo objectivo, foi criado um programa radiofónico, de 30 minutos.

Tempo

Multimédia