Províncias

Incêndio destrói parcialmente o armazém de medicamentos

André Brandão | Ndalatando

Um incêndio de pequena proporção destruiu parcialmente, segunda-feira, em Ndalatando, província do Kwanza-Norte, o depósito principal de medicamentos do hospital central doutor António Agostinho Neto.

Muito material gastável foi destruído durante o incêndio
Fotografia: Nilo Mateus

Um incêndio de pequena proporção destruiu parcialmente, segunda-feira, em Ndalatando, província do Kwanza-Norte, o depósito principal de medicamentos do hospital central doutor António Agostinho Neto.
Segundo declarações de algumas testemunhas, a ocorrência começou por volta das 14 horas e 20 minutos. Quando algumas pessoas viram o interior do depósito de medicamentos a fumegar chamaram o corpo de bombeiros, que conseguiu extinguir o fogo.
A administradora municipal do hospital de Cazengo, Catarina Luzia Manico, disse que o depósito continha cerca de 150 caixas de soro ringer, 100 de dextrose, 80 de cloreto de sódio, ampolas diversas e material gastável.
Catarina Luzia Manico tranquilizou todos os pacientes e a população em geral, pois o sucedido não vai mudar o curso normal de atendimento aos pacientes e o hospital central tem capacidade suficiente e fontes alternativas para dar resposta a qualquer situação que surgir, bem como internar doentes sem quaisquer preocupações.
O sub-chefe de primeira classe dos bombeiros, Lucas Teixeira Dala, que dirigiu a equipa, informou que o incêndio que causou a destruição parcial do armazém de medicamentos foi provocado por um curto-circuito que começou no aparelho de ar condicionado, numa altura em que a temperatura ambiental era bastante elevada.
Lucas Teixeira Dala avançou que a maior dificuldade que encontraram no local foi o facto das portas estarem todas fechadas, o que causou transtornos ao seu efectivo. A par desta situação o especialista do corpo de bombeiros acha necessário aumentar o nível de organização do depósito de remédios, uma vez que o mesmo se encontrava mal arrumado e sem espaço de manobra.
O corpo de Serviços de Bombeiros do Kwanza-Norte registou este ano nove ocorrências de incêndios, das quais quatro por negligência, três por curto circuitos e duas fugas de gás, ocorridas nos municípios de Cazengo, com oito, e um em Cambambe. Os danos materiais estão avaliados em 208 mil kwanzas.

Tempo

Multimédia