Províncias

Investimentos dão nova vida ao Cazengo

Manuel Fontoura | Ndalatando

A capacidade de conservação de cadáveres no município de Cazengo é minimizada, dentro dos próximos meses, com a entrada em funcionamento de mais duas morgues, com nove e seis gavetas respectivamente, pertencentes ao centro médico do bairro Sassa e ao hospital municipal de Cazengo, que se juntam às seis actuais do hospital provincial de Nadalatando.

O Hospital Municipal do Cazengo foi reabilitado e ampliado para permitir a melhoria da assistência à população do muncípio e arredores
Fotografia: Manuel Fontoura

A capacidade de conservação de cadáveres no município de Cazengo é minimizada, dentro dos próximos meses, com a entrada em funcionamento de mais duas morgues, com nove e seis gavetas respectivamente, pertencentes ao centro médico do bairro Sassa e ao hospital municipal de Cazengo, que se juntam às seis actuais do hospital provincial de Nadalatando.
Estes e outros trabalhos estão no Programa de Investimentos Públicos (PIP) e Programa de Melhoria e Aumento da Oferta de Serviços Sociais Básicos à População, em aplicação pelo governo da província.
São, no total, 13 infra-estruturas, entre hospitais, postos e centros de saúde, escolas e outros empreendimentos sociais que estão a ser erguidos no município e que devem ser inauguradas proximamente pelo governo provincial.
Em fase final de execução dos trabalhos, a entrada em funcionamento das unidades sanitárias eleva a capacidade de internamento de doentes em Ndalatando, das 94 camas actuais no hospital central para 184 camas no seu todo. O hospital municipal de Cazengo, com 70 camas, vai dispor de bloco operatório, banco de urgência, cuidados intensivos, internamento, laboratório, raio X, pediatria, sala de recepção, dois consultórios, sala de esterilização, cozinha, um tanque de 100 mil litros de água, cinco residências para os médicos, além de um centro de tratamento de água e águas medicinais, um refeitório para 20 pessoas e lavandaria.

Reabilitação da maternidade

Para além de 20 camas, o centro médico do bairro Sassa conta com banco de urgência, salas de medicina, pediatria, recepção, consultórios e apartamentos para os médicos. Simultaneamente está a decorrer a reabilitação da maternidade provincial, que tem capacidade para internar 70 crianças. As obras  reforçam o piso, melhoramento do tecto falso, revestimento do interior e revisão da instalação eléctrica. Com duas fases, a primeira vai incidir na reabilitação e ampliação das dependências mais solicitadas, como o consultório, banco de urgência e enfermarias. Dentro de três meses, a maternidade provincial do Kwanza-Norte ganha, de raiz, uma sala de espera, avaliada em 23,6 milhões de kwanzas.

Mercado moderno

Até Abril próximo, as populações de Ndalatando vão passar a contar com um mercado moderno, localizado no bairro Catome de Baixo. O recinto, com cerca de 400 bancadas, passa a ter armazéns, câmaras de congelação e conservação, fábrica de gelo, jango, administração do mercado, padaria e pastelaria, uma creche, refeitório, 14 lojas, Snack Bar, cabine telefónica, cozinha colectiva, dois postos de iluminação, talho e peixaria, instalações sanitária, sapataria, alfaiataria e duas agências bancárias.

Centro cultural e recreativo

Ndalatando vai ter também um centro cultural e recreativo, localizado no largo Alda Lara, que conta com um palco, salão com capacidade para dois mil espectadores, bar, cozinha, camarim masculino e feminino, sala VIP, quarto de repouso para artistas e casas de banho. A conclusão da obra está prevista para Maio próximo, com custos avaliados em 78 milhões de Kwanzas.
Já o estádio dos Dinizes, em Ndalatando, está a ser relvado, no quadro da política do Governo que visa revitalizar a prática do futebol, um assunto que motiva atletas e amantes da modalidade.
Depois do desbravamento da terra, entulho, nivelamento e aplicação do relvado por estacas e sementeiras, a empresa encarregue da empreitada vai fazer a canalização e implantação dos sistemas de drenagem, fornecimento de fertilizantes, fixação das balizas, e alinhamento do rectângulo de jogo. Iniciadas em Outubro do ano passado, as obras terminam em Março, com custos avaliados em 21,4 milhões de kwanzas.   A reabilitação das bancadas, balneários, vedação iluminação e a drenagem das valas custa aos cofres do Estado 31,4 milhões de kwanzas.

Recuperação de edifícios

As obras de restauração do edifício onde funcionavam algumas direcções provinciais decorrem em ritmo acelerado. Com duas fases, a primeira consiste na reabilitação do pavimento interior, das áreas do tecto onde as águas das chuvas se infiltram, instalação eléctrica, canalização e colocação de portas e janelas. A segunda consiste na reabilitação total e apetrechamento do edifício. Com nove meses de duração, são gastos pelo Governo 84,3 milhões de kwanzas.
O bairro da Vieta, arredores da cidade de Ndalatando, também vai ser alvo de obras de beneficiação ganhando, finalmente, uma nova escola do primeiro ciclo, com cinco salas de capacidade para 50 alunos cada, sala de professores, director, subdirector, informática, quatro casas de banho e um campo de jogos. Posteriormente vai ser erguido um segundo bloco financiado pela administração municipal de Cazengo, no quadro da aprovação do memorando sobre a melhoria da gestão municipal, no valor de 18 milhões de kwanzas.

Tempo

Multimédia