Províncias

Jovens do município do Cazenga doaram sangue em Ndalatando

Manuel Fontoura | Ndalatando

Mais de 70 membros da Associação dos Jovens Solidários do·município de Cazenga (Luanda) doaram, sábado, sangue ao centro de hemoterapia do hospital materno- infantil de Ndalatando, província do Kwanza-Norte.

Os jovens solidários do Cazenga vão doar proximamente sangue ao hospital do Bié
Fotografia: Manuel Fontoura |

Mais de 70 membros da Associação dos Jovens Solidários do·município de Cazenga (Luanda) doaram, sábado, sangue ao centro de hemoterapia do hospital materno- infantil de Ndalatando, província do Kwanza-Norte.
Sensibilizados no âmbito do projecto “Salve uma vida, doe sangue”, os jovens acederam ao apelo das autoridades sanitárias da província e percorreram mais de 200 quilómetros de autocarro, até Ndalatando, para minimizar a carência de sangue que o hospital enfrenta ultimamente.
O responsável da Associação, Nelson Funete, referiu que inicialmente foram mobilizados mais de 150 jovens, mas, devido a desistência de dois autocarros, à última da hora, o número ficou reduzido para metade. “Não conseguimos trazer todos, mas prometemos voltar numa próxima ocasião com maior número de jovens”, disse Nelson Funete, mostrando-se satisfeito por terem sido recebidos pelo governador provincial do Kwanza-Norte, Henrique Júnior.
Reconheceu que o pouco sangue doado não vai colmatar todas as solicitações, mas vai salvar muitas vidas e pediu aos jovens do Kwanza-Norte, em particular de Ndalatando, para também mobilizarem-se e responder ao apelo das autoridades. Os jovens solidários do Cazenga vão doar proximamente sangue ao hospital do Bié, depois de já o terem feito na Huíla e Huambo.
Satisfeito com o gesto, o governador Henrique André Júnior recordou que muitas vidas se perdem por falta de sangue nos hospitais. “Muitas vezes os hospitais fazem apelos aflitivos por haver uma vida em perigo e que só pode ser salva com a doação de sangue”, sublinhou. Henrique Júnior apelou aos jovens do Kwanza-Norte a seguirem o mesmo exemplo do Cazenga e passarem a doar sangue sempre que são solicitados, tendo em conta o acentuado nível de sinistralidade na província.
O hospital de Ndalatando enfrenta enorme carência de sangue devido à inexistência de dadores voluntários e, por isso, estão a ser recrutados activistas para promoverem campanhas de sensibilização da população para aderir às campanhas de doação.

Tempo

Multimédia