Províncias

Jovens são preparados para o mercado de trabalho

Manuel Fontoura e Kátia Ramos| Ndalatando

Desde que reabriu, em 2007, o Centro de Formação Profissional da cidade de Ndalatando já formou 4.475 jovens. Entre os cursos ali ministrados, contam-se o de Alvenaria, Corte e Costura, Carpintaria, Canalização, Electricidade de baixa tensão, Refrigeração e Serralharia.

A futura electricista Elisa Fortunato faz parte do grupo de jovens desempregados que aprendem várias profissões na cidade de Ndalatando
Fotografia: Nilo Mateus| Ndalatando

Desde que reabriu, em 2007, o Centro de Formação Profissional da cidade de Ndalatando já formou 4.475 jovens. Entre os cursos ali ministrados, contam-se o de Alvenaria, Corte e Costura, Carpintaria, Canalização, Electricidade de baixa tensão, Refrigeração e Serralharia.
Elisa Fortunato, de 25 anos, está a aprender a profissão de electricidade no Centro de Formação Profissional de Ndalatando, província do Kwanza-Norte. Ainda a frequentar o ensino médio, preferiu, por vários factores, como disse ao Jornal de Angola, aprender o ofício de electricidade, “por ser uma rapariga muito curiosa”.
A frequentar o curso há sensivelmente três meses, até ao momento já aprendeu a fazer instalação interna e externa e a reparar a corrente proveniente de geradores. Após terminar a formação, Elisa espera conseguir vaga numa empresa ligada ao ramo da electricidade e dar o seu contributo no desenvolvimento do país.
Alberto José da Cruz, de 26 anos, também está a frequentar o mesmo curso. Começou por elogiar a iniciativa do Executivo, uma vez que tem estado a incentivar muitos jovens a formarem-se e a abandonarem certas práticas menos abonatórias para si próprios e para a sociedade. “Já aprendi a solucionar questões relacionadas com os circuitos e fiquei a saber muita coisa sobre o mundo da electricidade”, explicou. Francisco Miguel, de 24 anos, optou pelo curso de carpintaria há mais de sete meses. Já sabe construir camas, janelas, portas, mesas e outros móveis. O seu objectivo é tornar-se mestre, abrir a sua própria oficina e ajudar outros jovens a desenvolverem a mesma actividade.
Há cinco anos que José Lúdica, de 32, exerce a actividade de pedreiro. Apesar disso, decidiu inscrever-se no Centro de Formação Profissional de Ndalatando, para aperfeiçoar os seus conhecimentos profissionais. Desde que ali está, há seis meses, já aprendeu a ladrilhar uma residência e a levantar uma parede, coisas que fazia antes, mas não com a perfeição de que é capaz agora.
Pedro Bento, 19 anos, disse ao Jornal de Angola que pretende ser um empreiteiro de obras, razão pela qual entrou no Centro. Há mais de cinco meses a frequentar o curso, aprendeu inúmeras tarefas, desde o ladrilho, levantamento de paredes e reboco.
O jovem quer alcançar metas e dar o seu contributo no desenvolvimento da província, na construção de residências para jovens e pessoas carenciadas. “Com o que aprendi até aqui e com a ajuda dos meus colegas já é possível levantar uma casa”, assegurou.

Artes e ofícios

O director do Centro de Formação Profissional de Ndalatando, Maurício da Costa, afirmou que os cursos são ministrados por 59 formadores, que também ensinam Informática, Decoração, Electrónica e Mecânica.
A província dispõe de um Centro Integrado de Emprego e Formação Profissional no Dondo, no município de Cambambe, e de dois centros de Formação Profissional nos municípios de Cazengo e Ambaca.  Existem ainda três Pavilhões de Artes e Ofícios, nas localidades de Cazengo, Quiculungo e Samba Cajú, além de dois centros móveis de formação, em Ndalatando e no Dondo.
Maurício da Costa disse que, desde a reabertura destes centros, centenas de jovens foram já inseridos no mercado de trabalho, em particular nas especialidades de Pedreiro, Carpinteiro, Informática, Corte e Costura e Serralharia. As empresas de construção civil são as que mais recrutam mão-de-obra formada nestes centros.
“É a partir daqui que podemos encontrar formas de ajudar os jovens a encontrarem um emprego e uma formação adequada”, alertou o director Maurício da Costa.

Tempo

Multimédia