Províncias

Kwanza-Norte admite novos professores

André Brandão e Marcelo Manuel | Ndalatando

O governo do Kwanza-Norte vai realizar um concurso público este ano, com vista à admissão de 953 professores, anunciou ontem o director provincial da Educação.

Sector da Educação tem falta de quadros para cobrir a rede escolar a nível da província
Fotografia: Mota Ambrósio

O governo do Kwanza-Norte vai realizar um concurso público este ano, com vista à admissão de 953 professores, anunciou ontem o director provincial da Educação.
Velinho de Barros disse que 561 dos candidatos serão enquadrados no ensino primário, sendo 241 para o primeiro ciclo e 151 para o segundo ciclo. O responsável salientou que está em curso, desde o dia 10 deste mês, a distribuição de 355.870 manuais escolares para todos os municípios, através de uma empresa de prestação de serviços contratada pelo governo provincial.
A província recebeu ainda 36.000 cadernos, 50 caixas de giz e 2.500 esferográficas. A entrega destes meios para as escolas locais vai ser da responsabilidade das administrações municipais, até ao primeiro dia de Fevereiro.
O director provincial disse que está programada para este ano a realização de 11 acções de formação pedagógica, que envolvem 4.231 professores.
A província do Kwanza-Norte conta agora 168 novas salas de aula, das quais 78 são para o ensino primário, 52 para o primeiro ciclo, 38 para o segundo ciclo.
Estas condições permitem a admissão de 11.080 novos alunos. Está prevista, para este ano,  a inscrição de 160.000 alunos em todos os subsistemas e níveis gerais de ensino e formação técnica e profissional da província. Os estudantes do complexo escolar Samora Moisés Machel, em Ndalatando, a capital da província do Kwanza-Norte, correm o risco de perder este ano lectivo, por causa da  morosidade na emissão e entrega de certificados de habilitações literárias para a matrícula.
O director do complexo escolar , Simões José dos Santos, disse que a falta de meios técnicos concorre para a demora que se verifica na emissão dos certificados de habilitação literária.O responsável disse que os alunos começaram a apresentar os respectivos  requerimentos a partir do dia 3 de Janeiro.
 Mas, para acelerar o processo, a direcção garante que a escola vai trabalhar, nos fins-de-semana.  A escola possui apenas um computador para atender  perto de 5.000 estudante.

Tempo

Multimédia