Províncias

Kwanza-Norte precisa de mais professores

André Brandão| Ndalatando

A província do Kwanza-Norte necessita de mais de mil professores para a satisfação das necessidades decorrentes para o próximo ano lectivo, para acolher os alunos que actualmente se encontram fora do sistema normal de ensino.

Com a admissão de mais professores são muitos os alunos que vão ser inseridos no sistema de ensino
Fotografia: Nilo Mateus|Ndalatando

A província do Kwanza-Norte necessita de mais de mil professores para a satisfação das necessidades decorrentes para o próximo ano lectivo, para acolher os alunos que actualmente se encontram fora do sistema normal de ensino.
O director provincial do Kwanza-Norte, da Educação Ciência e Tecnologia, Vicente Francisco Manuel, disse ao Jornal de Angola que os novos professores vão permitir a redução de alunos de 70 para 40 por cada sala.
Acrescentou que, durante o concurso público deste ano, ingressaram no sistema de ensino 874 novos professores. Com este reforço, o Kwanza-Norte ficou com 4.213 docentes, insuficientes para a cobertura total, dada a quantidade de crianças que ingressam anualmente no sistema escolar público.
Vicente Francisco Manuel realçou que o Kwanza-Norte necessita de professores dotados de experiência em análises laboratoriais, Direito, Economia, Física, Educação Visual e Plástica, Informática e Educação Física.
Durante o ano lectivo, funcionaram 408 escolas e destas 349 foram construídas com o apoio das próprias comunidades. Vicente Francisco Manuel referiu que o Governo Provincial está virado para a construção e ampliação de mais salas em escolas do primeiro e segundo ciclo, particularmente nas sedes municipais e comunais.
 
Alunos Especiais

A província do Kwanza-Norte tem 950 alunos que necessitam de cuidados específicos e destes, 64 frequentaram as aulas nas escolas normais por falta de uma estrutura própria e foram orientados por 12 professores especialistas. Para resolver as carências na área do ensino especial está em construção, no município de Cazengo, uma escola com cinco salas que permite absorver 100 alunos.
Vicente Manuel revelou que a par da existência de materiais as escolas necessitam de outros meios que permitem a aceleração da aprendizagem, como o método Braille para invisuais e materiais informáticos adequados. A nova escola vai ser dotada de rampas para facilitar a circulação dos alunos em cadeira de rodas.
O director da Educação no Kwanza-Norte disse que no próximo ano lectivo os serviços contam com um aumento significativo de crianças no sistema de ensino r nas cidades, bairros e aldeias rurais porque muitas pessoas mostraram o desejo de estudar em todos os níveis de ensino.
A população da província vai ganhando consciência de que é preciso estudar e começa a exigir escolas para os filhos. “Este ano o número de reclamações de professores faltosos baixou consideravelmente o que é muito positivo”, disse Vicente Francisco Manuel.
O director provincial da Educação disse que os professores se queixam da falta de casas, de bibliotecas e do difícil acesso aos bancos para receberem os salários, quando estão a dar aulas nas comunas mais distantes.
 
Merenda escolar

Vicente Francisco Manuel informou que a merenda escolar no Kwanza-Norte sempre foi um incentivo para o aumento e manutenção de alunos e professores nas escolas “porque estimula a aprendizagem e tem ajudado as famílias carenciadas que não têm as mínimas possibilidade de dar logo de manhã cedo um copo de leite às crianças”.
De 2007 a 2009, a merenda escolar beneficiou anualmente 13 mil crianças em dez escolas dos municípios do Cazengo, Cambambe e Lucala.
Vicente Francisco Manuel esclareceu que, devido à crise financeira, as crianças do Kwanza-Norte não beneficiaram de merenda escolar este ano.
Quanto ao desporto escolar como matéria curricular dos programas do ensino, nas sedes municipais existem campos que servem as escolas, enquanto nas comunas e aldeias o desporto escolar é iniciativa dos próprios alunos, por falta de apoios.
A capina dos campos de jogos é muitas vezes comparticipada pelos próprios encarregados de educação. Anualmente são realizados no Kwanza-Norte torneios de futebol, andebol e outras modalidades no âmbito do desporto escolar.
 
Alfabetização

Na província do Kwanza-Norte, este ano electivo, foram inscritos nos programas de alfabetização 16.242 alunos e 7.245 ficaram aprovados, 2.570 reprovados e 2.507 desistiram.
Nas aulas de alfabetização participaram 300 professores. A província do Kwanza-Norte tem sete novos centros de alfabetização mas grande parte dos alunos assiste às aulas em salas das escolas normais.

Tempo

Multimédia