Províncias

Mais bairros de Lucala com energia eléctrica

Paulo Mateus| Lucala

A extensão da rede de distribuição de energia eléctrica aos bairros CTT, Cacoso, Dondo ya Mutulo, Camagile, Terra-Nova e Golova, localizados na margem norte do rio Lucala, está a alegrar os munícipes, que aguardam com ansiedade a conclusão dos trabalhos.

Iluminação pública e domiciliária está a ser reforçada no município de Lucala
Fotografia: Mota Ambrósio

A extensão da rede de distribuição de energia eléctrica aos bairros CTT, Cacoso, Dondo ya Mutulo, Camagile, Terra-Nova e Golova, localizados na margem norte do rio Lucala, está a alegrar os munícipes, que aguardam com ansiedade a conclusão dos trabalhos.
A administradora local, Inês Luís, disse ao Jornal de Angola que, ainda este mês, a iluminação pública será um facto nos referidos bairros, seguindo-se posteriormente a fase de fornecimento às residências.
A empreitada, a cargo da direcção provincial da Energia e Águas, teve início com a colocação de mais de 100 postes e candeeiros no bairro Cacoso até ao Dondo ya Mutulo, no município de Lucala. A iniciativa partiu da administração local e enquadra-se no programa de descentralização financeira, orçando em 24 milhões de kwanzas.
Actualmente, assiste-se no local à instalação dos cabos de transporte de energia, á na sua fase final.
O soba do bairro CTT, Manuel Pedro Agostinho, disse que a iluminação pública vai facilitar a circulação dos estudantes no período nocturno e afastará os elementos desconhecidos que deambulam pelos bairros da vila e intersectam as pessoas, devido à escuridão das ruas.
Madalena Neves, 38 anos, moradora do bairro Cacoso, espera beneficiar da corrente eléctrica para pôr a funcionar os seus electrodomésticos. Conta que a energia consumida por eles tem sido fornecida por geradores que, na sua opinião, exigem gastos avultados para serem mantidos em funcionamento, devido às revisões e compra de combustível.
As vendedoras de quiosques acreditam que, com a chegada de energia, vão poder alargar a hora de atendimento aos clientes. Marcelina Manuel diz que o seu quiosque vende comidas diversas aos munícipes e viajantes que por ali circulam entre Luanda/Malange/Uíge e vice-versa. Para ela as vendas têm sido boas, pelo que começam às 6h00 da manhã até às 20h00, um período que poderá ser alargado caso a energia chegue nos próximos dias.
Refira-se que estes habitantes não consomem energia pública há mais de 30 anos.

Tempo

Multimédia