Províncias

Melhora o fornecimento de energia eléctrica

Manuel Fontoura | Ndalatando

O governo da província do Kwanza-Norte está a apostar gradualmente, nos últimos anos,  no reforço e extensão da rede de fornecimento e distribuição de energia eléctrica e água potável a todas as sedes municipais e comunais da província.

O abastecimento de energia eléctrica na capital da província melhorou substancialmente com as obras realizadas no ano passado
Fotografia: Francisco Bernardo |

O governo da província do Kwanza-Norte está a apostar gradualmente, nos últimos anos,  no reforço e extensão da rede de fornecimento e distribuição de energia eléctrica e água potável a todas as sedes municipais e comunais da província.
De acordo com um documento do governo da província sobre a situação socioeconómica e estado de desenvolvimento do Programa de Investimentos Públicos de 2011, o abastecimento de energia eléctrica na capital da província do Kwanza-Norte (Ndalatando) melhorou substancialmente com as obras de recuperação realizadas, tendo-se atingido os cinco megawatts de potência, contra os anteriores 1,5, em 2007, e é objectivo, a curto prazo, duplicar este valor.
O documento afirma que foi recuperada a rede total de iluminação pública da zona urbana da cidade e está em fase de conclusão a extensão para todos os bairros periféricos. Em Ndalatando, o governo provincial continua a fazer trabalhos numa linha que circunda a cidade, para facilitar a distribuição dos Postos de Transformação (PT) relativos ao centro urbano. A maior parte dos PT vão ser dirigidos à periferia, com cerca de 25 postos de transformação, com transformadores de várias potências.
Para a conclusão do projecto anel (bairros periféricos), os trabalhos decorrem para abranger os bairros Sassa, 28 de Agosto, São Filipe, entre outros, enquanto os bairros Kilamba Kiaxi, Azul, Comarca, Banga, Carreira de Tiro, Estação, Embondeiros, Quipata, Tala Hadi, Vieta, Mil e 14, Coqueiros e Hoji Ya Henda já têm electricidade.
Só na periferia da cidade de Ndalatando vão ser abrangidos mais de cinco mil habitantes e na zona  urbana 8.500, havendo já, neste momento, um número que ronda os 3.600 consumidores.
Na cidade do Dondo, onde o parque industrial é abastecido regularmente, a potência é ainda inferior ao desejado, com uma rede de     distribuição degradada.Para suprir esta situação, estão quase concluídos os trabalhos de reabilitação e construção de uma nova rede de média tensão, ligações domiciliares e iluminação pública.
Na vila do Lucala foi construída a subestação que serve de linha de interligação para os municípios de Samba Cajú, Ambaca até ao município de Negage (Uíge). Nestas zonas, foram reabilitados os sistemas de distribuição e iluminação pública e nas sedes municipais do Golungo Alto, Quiculungo, Banga e Ngonguembo o fornecimento de energia é assegurado por novos grupos geradores.
Nas comunas de Massangano, Zenza do Itombe, São Pedro da Quilemba, Canhoca, Quiangombe, Samba Lucala, Caculo Cabaça, Aldeia Nova, Quilombo kya Putu, Camame, Cavunga, Maua, Tango,    Bindo, Hombe, Quilemba, Cerca, Luinga e sede da Banga foram concluídos os trabalhos de instalação da rede de fornecimento de energia eléctrica e iluminação pública, através de grupos geradores de 75 e 125 KVAs, segundo o documento.
No município do Golungo Alto está prevista a conclusão dos trabalhos de construção da linha de fornecimento de energia eléctrica e rede de distribuição a partir da cidade de Ndalatando, um projecto que vai beneficiar igualmente as localidades ao longo do ramal que liga à capital provincial.

Água potável

Actualmente, de acordo com o documento do governo provincial, o nível de cobertura em termos de abastecimento de água no Kwanza-Norte é de 49 por cento, permitindo o acesso a água potável de um universo de 197.275 habitantes.
Até à conclusão deste projecto, espera-se atingir 68 por cento, o que coloca a província, a par do Cunene, com a maior cobertura do país em termos provinciais, fruto das intervenções realizadas no âmbito do programa “Água Para Todos”. Na cidade de Ndalatando foi construída a central de captação e distribuição a partir da represa do rio Mucari, um reservatório semi-enterrado com capacidade para cinco milhões de litros e a instalação de 45 quilómetros de rede de distribuição, 1.600 ligações domiciliares e 96 chafarizes, que abrangem cerca de 140 mil pessoas.
No âmbito do programa “Água Para Todos”, foram concluídos, em 2010, os sistemas de captação, tratamento e distribuição de água das localidades do Luinga e Tango (Ambaca), vila de Samba Cajú e Mussabo, além de Canhoca (Cazengo) e Terreiro, município de Bolongongo. Encontram-se em via de conclusão os sistemas da vila do Ngonguembo, comuna de Quilombo kya Putu, Cariamba e Lucala, com o propósito de beneficiar 45 mil habitantes.

Recuperação das estradas

Os trabalhos de reabilitação e manutenção das estradas da província prosseguiram no ano passado, tal como aconteceu com as        linhas ferroviárias e o aeroporto local, com vista a assegurarem a ligação à capital do país, aos municípios, comunas e às demais regiões de Angola.
Estas intervenções reduziram de forma visível o tempo de viagem e custos de manutenção de veículos e melhoraram a circulação nas vias, permitindo as ligações entre as localidades, lê-se no documento.
De uma forma geral, o trânsito nas estradas é caracterizado como sendo ainda irregular, fundamentalmente no período chuvoso e sobretudo na zona rural, isto é, nas ligações entre as comunas e aldeias, registando uma relativa melhoria no período seco.
De acordo com o balanço do governo do Kwanza-Norte, a cidade de Ndalatando apresentava um   aspecto pouco condizente com o estatuto de capital da província e de ponto de passagem para outros destinos do país, principalmente no corredor Norte e Leste do país.
Por essa razão, em 2011 foi realizado um conjunto de obras de beneficiação, designadamente a colocação do novo tapete asfáltico, sinalização horizontal e vertical nas vias, reabilitação dos     passeios, lancis e jardins da cidade, pintura e manutenção de edifícios públicos e particulares, melhorando deste modo a qualidade de vida dos cidadãos.

Habitação

O governo da província identificou as reservas fundiárias, processo já concluído, e decorrem actualmente os trabalhos de construção de infra-estruturas básicas, como vias de acesso, saneamento básico, sistemas de água e energia eléctrica, para o início do projecto de construção de 200 fogos habitacionais a nível dos municípios.
No âmbito do Programa de Investimentos Públicos, o governo provincial  construiu 204 residências, sendo 140 na cidade de Ndalatando, 41 em Cambambe, três na Banga e dez no Quiculungo e Bolongongo. Em Ndalatando, decorrem actualmente trabalhos de construção de um edifício, com 12 apartamentos, na rua da Missão, e 30 casas sociais na zona da Vieta, além da construção de dez casas no Ngonguembo e Banga.

Tempo

Multimédia