Províncias

Melhoradas as condições das crianças necessitadas

Marcelo Manuel | Ndalatando

Um internato com capacidade para absorver 100 crianças desprotegidas e desfavorecidas está a ser construído, na cidade de Ndalatando, num financiamento do Fundação Lwini, anunciou ontem o director executivo desta organização.

Fotografia: Edmundo Eucilio| Edições Novembro

Alfredo Ferreira explicou que o centro está a ser erguido, no quadro de um programa da fundação que visa  garantir melhor qualidade de vidas às crianças com as referidas necessidades e contribuir para que as mesmas passem a ter direito à educação académica.
O director executivo da Fundação Lwini acredita que o projecto social vai ajudar a elevar os índices de qualidade de vida de menores que vivem em famílias com poucos recursos e de outras sem protecção.
“Não basta olharmos para a organização das cidades quando temos populações que sofrem e principalmente crianças que não vão à escola e pessoas por cuidar”, disse para defender a busca de parcerias para criar condições que possam minimizar o sofrimento dos cidadãos.
Sublinhou que a realização da 13ª edição da Caminhada Solidária, realizada a nível do Cuanza Norte, tem o propósito de levar a região várias individualidades que, com o seu saber e contributo, possam ajudar na resolução dos problemas mais candentes da população, fundamentalmente os de pendor social.
Referiu que é neste âmbito que surgiram os apoios da escola de educação especial e o centro de fisioterapia, no município de Cazengo, cuja construção e instalação de equipamentos contaram com directamente com a Fundação Lwini.

Assistência social


Alfredo Ferreira revelou que ao longo dos 13 anos de existência da Fundação Lwini, no dia 30 Junho de 1998, mais de 50 mil pessoas já foram assistidas pela organização, em todo o país. Em zonas mais recônditas de Mavinga, província do Cuando Cubango, foi criado um projecto de emparelhamento de próteses para diminuídos físicos.
O director executivo realçou que o enfoque principal da organização é o apoio às vítimas civis de minas terrestres, mulher rural e crianças desfavorecidas, a par de outras linhas de actuação ligadas à educação de pessoas com necessidades de cuidados especiais.
Alfredo Ferreira disse mostrar-se surpreendido com os níveis motivacionais dos governantes locais, principalmente no que toca à criação de condições para a melhoria da qualidade de atendimento à saúde.

Tempo

Multimédia