Províncias

Melhorado o abastecimento de água

Marcelo Manuel | Ndalatando

As zonas periféricas da cidade de Ndalatando vão contar, até Agosto de 2017, com  11.400 ligações domiciliares para o fornecimento de água potável, através de um projecto de reabilitação e ampliação da rede de distribuição interna, suportada pelas fontes de captação do rio Mucari e Monte Redondo.

Habitantes da região deixam de percorrer longas distâncias em busca de água potável
Fotografia: Santos Pedro



A informação foi avançada em Ndalatando, pelo presidente do conselho de administração da Empresa de Águas e Saneamento do Cuanza Norte, Agostinho Estêvão Felizardo, durante uma visita às zonas de captação, realizada pelo governador José Maria, acompanhado de membros do Governo Provincial.
  Agostinho Estêvão Felizardo explicou que já foram feitas 6.400 ligações entre os bairros Vieta, Mesquita, Cais e Tiro aos Pratos. Em Dezembro próximo, acrescentou, os trabalhos vão beneficiar as zonas da Kipata, Comarca, Bairro Azul, São Felipe, Banga, entre outros, incluindo as áreas do casco urbano.
Agostinho Felizardo considera razoável o fornecimento de água à cidade de Ndalatando, onde a principal fonte é a captação do rio Mucari, que funciona por sistema de gravidade, com três reservatórios de 5.000 metros cúbicos e um abastecimento de 250 metros cúbicos por hora.
“Em algumas zonas da rede de distribuição interna da cidade de Ndalatando verificamos avarias, facto que resulta na pouca pressão da água, o que faz com que o fornecimento diário seja apenas de 11 horas por dia”, disse, para acrescentar que existem na região 96  chafarizes  em funcionamento.
Apontou a falta de gestão comunitária, vandalismo e altitude de algumas zonas como factores que concorrem para a inoperatividade de 12 chafarizes.

Cobrança do consumo 

Após a visita de constatação aos  sectores de fornecimento de água potável à cidade de Ndalatando, o presidente do conselho de administração da Empresa de Água e Saneamento do Cuanza Norte apresentou, na sala de conferências do Governo Provincial, o novo modelo tarifário para a gestão e cobrança do consumo de água potável. Embora não tenha avançado os preços para as cobranças do consumo a nível das instituições públicas, privadas e domiciliares, Agostinho Felizardo avançou  que a execução do  projecto está condicionada à falta de verbas para a contratação de pessoal com capacidade técnica, administrativa e financeira.
Agostinho Felizardo sugeriu ao Governo da província uma parceria para a cedência de alguns técnicos do departamento provincial das águas, para trabalharem na sua empresa, por um período de dois anos, com salários pagos pelo Governo, para permitir melhor execução dos projectos de ampliação, manutenção e gestão do sector.
“Após o período de dois anos acredito que podemos executar com êxitos a implementação do projecto de ampliação e gestão do sector das águas, com a aplicação de contadores, o que vai permitir a cobrança regular do consumo por cliente”, disse Agostinho Felizardo.
O governador provincial do Cuanza Norte, José Maria Ferraz, anunciou que o Governo central trabalha em parceria com o da China, no sentido deste financiar um novo projecto de captação e tratamento de água potável para a cidade de Ndalatando, a partir do rio Lucala, num percurso de 35 quilómetros.
José Maria Ferraz disse acreditar que o novo projecto pode ser o ideal para colmatar as dificuldades que a população de Ndalatando enfrenta, em termos de consumo de água. Avançou que, enquanto se espera pela materialização do referido memorando, há a necessidade da reabilitação da fonte de captação do monte Redondo, que pode fornecer cerca de 6.000 metros cúbicos de água por dia.
O governador provincial garantiu que a partir das próximas semanas são mobilizadas máquinas e homens ligados às Forças Armadas Angolanas e à Polícia Nacional para a limpeza da picada de acesso à fonte de captação de água, para, em seguida, começarem os trabalhos de engenharia hidráulica.

Tempo

Multimédia