Províncias

Milhares de carenciados recebem apoio

Manuel Fontoura | Ndalatando

Mais de 25 mil pessoas foram apoiadas com bens essenciais pela Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social do Kwanza-Norte, durante o ano passado, no quadro do seu programa de apoio às populações com elevado grau de vulnerabilidade.

Governador Henrique Júnior procede à entrega simbólica de instrumentos agrícolas ao soba na comuna do Tango
Fotografia: Fula Martins

Mais de 25 mil pessoas foram apoiadas com bens essenciais pela Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social do Kwanza-Norte, durante o ano passado, no quadro do seu programa de apoio às populações com elevado grau de vulnerabilidade.
De acordo com a directora provincial do MINARS, Lídia Martins, a julgar pelo desempenho e cumprimento das actividades programadas, destaca-se o apoio directo a 2.102 pessoas portadoras de deficiência, 9.374 idosos, 6.223 crianças órfãs, 820 crianças nas instituições (creches, centros infantis e escolares comunitárias), 924 pessoas desamparadas, 25 refugiados, 81 regressados da República Democrática do Congo, Zâmbia, Botswana e Namíbia.
O MINARS, no Kwanza-Norte, deu igualmente apoio a 2.911 famílias de baixos rendimentos, 2.911 chefes de família, 141 mães solteiras, 309 viúvas e 2.205 desmobilizados.
Para além das tarefas que visam o melhoramento e atendimento da primeira infância no domínio afectivo, cognitivo e psicomotor, o MINARS reabilitou e apetrechou os centros infantis comunitários e forneceu ferramentas de trabalho às educadoras.
Lídia Martins informou que durante o ano findo, foram atendidas 820 crianças de ambos os sexos nos centros infantis, precisamente nas áreas de berçário, jardim e creche. Transitaram para a primeira classe do ensino geral 74 crianças.
De acordo com Lídia Martins, das 6.223 crianças órfãs, dos dois sexos, 1.940 foram apoiadas com produtos alimentares, sobretudo leite.
No internato da Missão Católica Irmãs do Santíssimo Salvador, no município de Quiculungo, 50 crianças e adolescentes receberam igualmente apoio de bens alimentares, cobertores e roupa usada.
No município de Cambambe, três crianças menores de dez anos, provenientes da província do Bié, foram encaminhadas para as suas famílias localizadas actualmente em Luanda.
No final dos inquéritos efectuados em visitas domiciliares, os serviços concluíram que a maioria dos idosos ainda vive em situação de extrema pobreza. Receberam vários produtos de primeira necessidade, como arroz, feijão, farinha de milho, óleo alimentar, conservas de carne, conservas de peixe, peixe seco, sal de cozinha, roupa usada, cobertores, bidões vazios, cadeiras de rodas, tendas de campanha e chapas de zinco. Mais 30 idosos foram contemplados com chapas de zinco.
Nos próximos dias, 3.977 famílias devem ser enquadradas em projectos que geram rendimentos, nas áreas de corte e costura, serralharia, electricidade, moagem, recauchutagem, carpintaria, e agricultura. Foram identificadas áreas de projectos para extracção de óleo de palma, padarias, fabrico de blocos, quiosques, venda de acessórios e peças para automóveis.

Atendimento à comunidade

A directora Lídia Martins referiu que os serviços desenvolveram várias actividades como visitas domiciliares, palestras sobre os cuidados básicos de saúde, violência contra as crianças, mulheres e idosos. Participaram nestas actividades 739 pessoas, das quais 148 adolescentes.
Os serviços constataram que há necessidade de levar o registo de nascimento gratuito às pessoas vulneráveis e a extensão e melhoramento dos serviços de saúde, educação, água potável comunicação, mercado, transportes e vias de acesso.
Lídia Martins disse que 90 famílias num total de 485 pessoas afectadas pelas chuvas e incêndios, nos municípios do Cazengo, Ambaca, Banga, Samba Cajú e Quiculungo, foram apoiadas com chapas de zinco, cobertores e roupa usada. As famílias que viram as suas culturas agrícolas devoradas pelos elefantes foram igualmente assistidas.
O MINARS no Kwanza-Norte procedeu ainda ao registo de 1.073 chefes de famílias de baixos rendimentos, 924 pessoas desamparadas, 63 viúvas e 141 mães solteiras. Realizou também o funeral de 14 pessoas vulneráveis e desamparadas, cujas mortes foram provocadas por doenças e acidentes de viação.
Durante o ano passado, a direcção da Assistência e Reinserção Social atendeu com produtos de primeira necessidade, sete famílias vulneráveis desamparadas na comunidade da Vieta, 65 pessoas infectadas com HIV/Sida no município do Cazengo e prestou apoio alimentar a algumas instituições de solidariedade social.

Regressados

O MINARS recebeu 14 cidadãos angolanos provenientes da RDC, entre Novembro e Dezembro de 2009, o que totalizou 81 compatriotas, actualmente inseridos nas comunidades e são assistidas com bens alimentares e cobertores.
Foram também assistidas cinco famílias regressadas da RDC em 1992, no município do Lucala.  O MINARS apoiou igualmente 1.174 desmobilizados através do Projecto Vida Melhor (actividade pecuária e não agrícola), Educar Formar para a Vida, Apoios Complementares, Mãos que Constroem. Os antigos militares foram integrados em moagens, recauchutagens, barbearias, marcenarias, carpintarias, estofadores, cantinas e bares, agricultura, fábrica de blocos, estações de serviço e serralharias. Os órgãos centrais enviaram para o Kwanza-Norte quatro geradores de 60 CVA, duas bloqueiras semi-automáticas, ferramentas de pedreiro, carpintaria, agricultura, electricidade, mecânica e serralharia.

Processo de desminagem

Mais de 191 minas anti-pessoal, uma anti-tanque, 102 uxos foram retiradas de extensas áreas agrícolas áreas e estradas da província do Kwanza-Norte.
As acções das operadoras consubstanciaram-se na limpeza de bermas de estradas, aberturas de novas linhas e postos de alta tensão, áreas de exploração de inertes, arredores da barragem hidroeléctrica de Cambambe, antena da RNA, pedreiras e aeroporto de Carianga, arredores de Ndalatando.

Assistência humanitária

Segundo Lídia Martins, as poucas acções que as ONG realizaram visam complementar os esforços do Executivo, fazendo parceria na execução de alguns programas sectoriais.
A congregação de D. Bosco, em Cambambe, e igrejas católicas de Camabatela, desenvolveram dois projectos visando reintegrar desmobilizados e as suas famílias.
A representação da Organização Mundial de Saúde presta assistência técnica e medicamentosa aos programas de combate às grandes endemias e às campanhas de vacinação.
A ONG Visão Mundial Internacional em parceria com a Cruz Vermelha de Angola e a Direcção Provincial da Saúde apoiam com meios técnicos o programa de combate à malária e VIH/SIDA.  A congregação D. Bosco, a Associação Camunza e a ONG VAPA em parceria com a Direcção Provincial da Educação, apoiam o programa de ensino na vertente de alfabetização comunitária.
As equipas de saúde trabalham na prospecção activa da doença do sono nos bairros Quilucuinhe, Cazengo e Bindo. Nestas áreas suspeitas foram assistidas 659 pessoas entre mulheres, homens, crianças e velhos.
O comité provincial dos direitos humanos, coordenado pela Igreja Católica, desenvolveu acções de formação para a educação cívica e moral das comunidades. As instituições AMIGA e ANDA apoiaram a reintegração física, social e profissional dos deficientes.

Perspectivas de futuro

Para este ano, o MINARS no Kwanza-Norte pretende dar sequência ao alargamento do Programa Infantil e Escolar Comunitário (PIC/PEC), com a construção de mais Centros Infantis e Escolas Comunitárias na província, formação técnica do pessoal, promover seminários e desenvolver programas e projectos sociais a favor dos grupos vulneráveis.
É igualmente uma meta a atingir este ano, a criação de condições para a construção de um abrigo de acolhimento provisório para crianças e outras pessoas vulneráveis em trânsito na província.
Está igualmente prevista a realização de palestras e campanhas de sensibilização sobre direitos humanos, violência no lar, registo de nascimento, alfabetização, uso de latrinas, higiene, alimentação, meio ambiente, saneamento e HIV/Sida.

Tempo

Multimédia