Províncias

Milhares de habitantes estão a ser aconselhados

Kátia Ramos | Ndalatando

Agentes comunitários e supervisores de campo, ligados à direcção provincial da Saúde do Kwanza-Norte, sensibilizaram, durante os últimos oito meses, 27.513 populares, visando a prevenção de várias doenças. Nos últimos oito meses, os agentes comunitários e supervisores de campo registaram ainda 6.­422 famílias, incluindo 5.333 crianças dos zero aos seis anos.

Estão a ser realizadas várias palestras visando a prevenção de doenças na província
Fotografia: Nilo Mateus| Ndalatando

A informação foi avançada na semana finda, em Ndalatando, pelo director da Saúde, Manuel Varela, durante o encerramento de mais um ciclo de formação para a­gentes comunitários, ministrado a nível dos dez municípios que compõem a província.
O responsável disse que os recém-formados, além do papel mobilizador, têm a missão de formar outros agentes a nível das zonas mais recônditas das comunidades em que estão inseridos.
Manuel Varela disse que o projecto, que teve início em Fevereiro do ano passado, permitiu diagnosticar a situação das principais endemias locais, além de ajudar o funcionamento dos hospitais, centros e postos de saúde.
O responsável sublinhou que o foco dos promotores da acção está directamente centrado na prevenção de doenças e promoção da saúde, tidas como importante estratégia de atenção primária para redução da mortalidade materna e infantil.
Manuel Varela recordou aos formandos que o objectivo fundamental dos agentes comunitários é levar o conhecimento relacionado com os cuidados primários de saúde a nível das zonas rurais, em forma de palestras ou seminários.
As palestras ou seminários debruçam-se, sobretudo, no que toca ao uso adequado do mosquiteiro, informações sobre infecções respiratórias agudas e a importância da vacinação para as crianças.

Tempo

Multimédia