Províncias

Mortes diminuem no Kwanza-Norte

Marcelo Manuel | Ndalatando

O vice-governador da província do Kwanza-Norte para a esfera Social e Política, José Alberto Kipungo, afirmou na quarta-feira, em Ndalatando, que a região tem conhecido uma redução significativa de mortes por malária, em função das várias estratégias traçadas pelo Executivo e parceiros.

Governo e parcesiros lançaram uma campanha de desinfestação a nível da província
Fotografia: Nilo Mateus|Ndalatando

O vice-governador da província do Kwanza-Norte para a esfera Social e Política, José Alberto Kipungo, afirmou na quarta-feira, em Ndalatando, que a região tem conhecido uma redução significativa de mortes por malária, em função das várias estratégias traçadas pelo Executivo e parceiros.
Falando durante a abertura oficial do “Programa Nacional de Luta Contra a Malária e Tripanossomiase”, realizada em Ndalatando pelo Ministério da Saúde, José Alberto Kipungo referiu que, em 2006, a província registou 1.194 óbitos, mas que no ano passado foram apenas notificados 274.
Apontou como resultado do sucesso, a expansão do fármaco Coarctem, que já atingiu 97 das 100 unidades sanitárias que operam no Kwanza-Norte, e a realização do tratamento intermitente preventivo realizado em 26 unidades, que englobam nos seus serviços consultas do segmento pré-natal.
O vice-governador lembrou que 37 por cento da população local usa mosquiteiros impregnados, associada à estratégia de combate anti-larval, através da pulverização intra e extra domiciliar, e a outros componentes, como o uso de coarctem, implementação do tratamento intermitente com falsidade às grávidas e testes rápidos.
O governo local, segundo José Alberto Kipungo, pretende alcançar, até 2015, sete casos por cada 100 mil habitantes. Para isso, considerou ser necessário o empenho dos vários parceiros do Executivo na luta contra a malária, como é o caso da Consaude, World Vision e a Cooperação Cubana.
Por sua vez, o director Nacional do Programa de Luta Contra a Malária, Filomeno Fortes, disse que o sistema de pulverização usado actualmente vai, de igual forma, contribuir para o combate da filariose e para a redução da mosca doméstica, vectores de transmissão da hérnia e da cólera.
Em 2009, o país registou um total de 10 mil óbitos por malária, mais dois mil em relação a 2010.
Milhares de casas pulverizadas
Ao todo, 4.416 residências em Ndalatando vão ser pulverizadas com insecticidas intra-domiciliar, com o objectivo de eliminar as bactérias da malária e reduzir o índice de mortes por esta doença. O projecto está a ser coordenado pela empresa Consaúde e pelo governo da província.
O Coordenador do projecto, Flávio Costa, disse que o governo do Kwanza-Norte está a implementar várias acções para reduzir os casos de malária e baixar o índice de mortalidade no seio da população.

Tempo

Multimédia