Províncias

Mortes estão a diminuir na província

Isidoro Natalício | Ndalatando

O chefe do departamento provincial do Instituto de Combate à Tripanossomíase (ICCT) no Kwanza-Norte, Francisco Manuel, revelou quarta-feira, ao Jornal de Angola, que pelo terceiro ano consecutivo nenhuma morte por doença do sono foi registada na província.

Técnicos do programa de combate à tripanossomíase pedem mais apoio
Fotografia: Isidoro|Ndalatando

O chefe do departamento provincial do Instituto de Combate à Tripanossomíase (ICCT) no Kwanza-Norte, Francisco Manuel, revelou quarta-feira, ao Jornal de Angola, que pelo terceiro ano consecutivo nenhuma morte por doença do sono foi registada na província.
 “Em 2001, foram assinalados 40.506 casos, dos quais mil foram curados”, sublinhou Francisco Manuel, acrescentando que a diminuição das mortes se deve à expansão dos serviços, melhoria dos métodos de diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos doentes.
O médico referiu que, apesar desta redução nos últimos anos, a situação ainda é preocupante, pois, como argumentou, 19 casos foram registados este ano no município de Cambambe e 14 no de Cazengo. 
O responsável esclareceu que, depois de três anos de ausência, a prospecção activa a 4.974 pessoas identificou quatro doentes pertencentes a uma mesma família, na comuna de Caculo-Cabaça (Banga) e um na sede municipal de Bolongongo, tendo sido rastreadas, também, as áreas de Kariamba e Aldeia Nova. A província do Kwanza-Norte dispõe de seis centros municipais para análise e tratamento.
Francisco Manuel disse que uma cobertura total da província exige três equipas, de até dez elementos cada, dotadas de duas viaturas, geradores e outros equipamentos, notando que estão disponíveis 95 trabalhadores, dos quais 42 enfermeiros, número ainda insuficiente.
O responsável defendeu a contínua disponibilização de recursos técnico-materiais, para manter a actual dinâmica de trabalho, que pode gerar um controlo efectivo da doença nos próximos cinco ou sete anos, no Kwanza-Norte.
“A ausência de mortes e a diminuição de pacientes nas enfermarias não significa a erradicação da doença, como às vezes se pensa, mas, com empenho de todos e com os recursos tecnológicos disponíveis, é possível, dentro de dez anos”, prognosticou o médico. O médico disse que, a par das campanhas activas, a estratégia de combate à tripanossomíase humana africana contempla a criação de condições humanas e materiais nos hospitais de referência e centros de saúde municipais.
Francisco Manuel destacou a luta anti-vectorial e o reforço das armadilhas, para 2.653 unidades, que permitiram a captura de 70.462 moscas tsé-tsé, entre Março e Setembro, no Kwanza-Norte. As províncias do Uíge, Malange, Kwanza-Sul, Zaire, Bengo e Luanda são consideradas endémicas.
 A doença do sono tem como sintomas febre e dores de cabeça prolongadas, gânglios no pescoço, emagrecimento e fraqueza. São também sentidas perturbações, como agressividade, apatia, convulsões, tremores, dificuldades em andar e sono diurno excessivo.

Tempo

Multimédia