Províncias

Ndalatando está a ganhar uma nova imagem

Marcelo Manuel | Ndalatando

Ndalatando, capital da província do Kwanza-Norte, comemora hoje 56 anos, desde que foi elevada à categoria de cidade, a 28 de Maio de 1956.

Estão em curso na região várias obras de reabilitação e construção de infra-estruturas de impacto social para melhorar o nível de vida
Fotografia: Marcelo Manuel|Ndalatando

Ndalatando, capital da província do Kwanza-Norte, comemora hoje 56 anos, desde que foi elevada à categoria de cidade, a 28 de Maio de 1956.
Para a celebração da data, o governo provincial do Kwanza-Norte promove, desde o passado dia 19, várias actividades sócio-culturais, económicas e desportivas, como a realização de espectáculos musicais, apresentação pública de projectos habitacionais, festival de música gospel e de rituais sagrados.
No que toca ao desenvolvimento da cidade, bairros e aldeias periféricas, várias são as acções realizadas ou em curso nos vários domínios, principalmente relacionadas com a expansão da rede de distribuição de energia eléctrica e água potável, saneamento básico, saúde, construção de infra-estruturas pedagógicas, recuperação de estradas, passeios e jardins.  
 
Combate à pobreza

Em relação às realizações do Executivo, no âmbito do programa municipal de combate à pobreza, a administração de Cazengo construiu este ano vários empreendimentos sociais, como as escolas dos bairros Quirima do Hola e do Meio, com três e quatro salas, para além de outras dependências como gabinetes, secretarias e residências para professores.
Segundo a administradora municipal do Cazengo, Edvigens de Jesus Ribeiro, nas comunidades do Tenga e Tombó-Tombó foram reabilitaas duas escolas, com um total de dez salas. Os projectos permitem que as crianças do ensino primário estudem nas suas áreas de residência.  Segundo a administradora municipal, foram preparados, para a presente época agrícola, 43 hectares de terra, nas comunidades da Sagrada Família (Kirima dos Imbondeiros), Comunidade das Irmãs de Santa Catarina de Sena (Camoma), Cooperativa Comandante Ngueto e de Camponeses de Canzondo.
Foram igualmente enquadradas duas cooperativas e três associações de camponeses para adesão ao crédito agrícola. As duas cooperativas beneficiaram já de crédito no valor de 7.962.000,00 kwanzas, beneficiando 40 associados.
A administradora Edvigens de Jesus Ribeiro frisou que, em relação ao comércio e devido à abertura das vias de acesso aos campos agrícolas, a produção tem sido escoada facilmente para o centro da cidade. Prevê-se a organização e selecção de pequenos comerciantes, que, em princípio, deverão ir ao encontro dos camponeses, para facilitar o processo de venda e troca dos produtos.
O Jornal de Angola constatou que a nível de Ndalatando está em curso a conclusão das obras do mercado municipal, situado na localidade de Catome de Cima, dotado de lojas, restaurantes, bancos, creches, padarias, talhos, peixarias e armazéns, que poderão apoiar pequenos empreendedores.
                        
Energia e águas
 
A administradora precisou que foram reabilitados vários sistemas de captação e distribuição de água nas localidades de Monte Belo, sector do Zavula, nas comunidades da Sociedade, Bandeira, Sambua e Nácio.   A par dos projectos referidos, está concluída a reposição dos sistemas de distribuição de água nas comunidades do Zanga, Kihoto, Canzondo, Carianga, Kilamba Kiaxi e do Hospital Municipal do Catome da Baixo. Em Calolo foram construídos 11 chafarizes e igual número de  lavandarias comunitárias.
Quanto à energia, a administradora deu a conhecer que foram instalados e em alguns casos reparados os sistemas de fornecimento e distribuição de energia eléctrica nas comunidades da Kissekula, Canhoca, Comarca, Zanga, Kirima do Meio e do Hola, onde foram colocados candeeiros de iluminação pública, abastecidos por grupos geradores.
Segundo Edvigens de Jesus Ribeiro, as acções do Executivo no domínio da saúde, durante o ano em curso, permitiram a construção de uma unidade sanitária em Kanzondo e a reabilitação e ampliação de outras cinco, nas comunidades de Kissecula, Kirima do Meio, Kipata e Canhoca, beneficiando 48.863 habitantes, para além da construção de três salas de parto e requalificação de duas residências para enfermeiros.
A responsável pela administração do Cazengo disse que, na comuna da Canhoca, encontra-se em fase de conclusão a construção e apetrechamento de seis residências para funcionários. No âmbito de uma parceria público-privada, estão em curso os projectos residenciais do Tenga, Cazela, Catome de Baixo e Camuaxi com a construção de cerca de cinco mil fogos habitacionais. No âmbito da reabilitação de vias terciárias e secundárias, foram terraplanados os troços de Catome de Baixo, Catari, Cazela até ao 28 de Agosto, 11 de Novembro, Km 13 até Canzondo, Kissekula, Zavula, Monte Belo e Catamba até ao Queta.
Este ano foi ainda instalada uma ponte metálica, de cerca de 15 metros de comprimento e sete de largura, sobre o rio Camuaxi.
A capital da província do Kwanza-Norte tem 768 quilómetros quadrados e 142.765 habitantes. O nome Ndalatando, segundo investigadores, é uma homenagem aos primeiros sobas da região, que se chamavam Ndala e Tando.

Tempo

Multimédia