Províncias

Ndalatando tem sistema informatizado para a emissão de cédulas e certidões

André Brandão | Ndalatando

A população do Kwanza-Norte tem, desde terça-feira, em Ndalatando, um novo Sistema Integrado de Registo Civil (SIRC), cujo objectivo é informatizar as cédulas de nascimento, casamentos e óbitos.

Projecto visa aumentar a produtividade dos funcionários e proporcionar mais rapidez na inspecção e conclusão dos processos
Fotografia: André Brandão| Ndalatando

 

A população do Kwanza-Norte tem, desde terça-feira, em Ndalatando, um novo Sistema Integrado de Registo Civil (SIRC), cujo objectivo é informatizar as cédulas de nascimento, casamentos e óbitos.
A conservadora do Registo Civil disse, na altura, ao Jornal de Angola, que o novo sistema permite a diminuição da falsificação de registos de nascimento, aumenta a produtividade dos funcionários e proporciona mais rapidez na inspecção e conclusão dos processos de nascimento, casamentos e óbitos.
Ester Sebastião afirmou que por os antigos livros se terem extraviado durante a guerra, a partir de 1996 começaram a surgir registos em duplicado, com pessoas com duas cédulas, com idades diferentes.
“Muitos já estão registados em Luanda, mas, chegados a Ndalatando, fazem outro registo”, referiu, sublinhando que a instalação do novo sistema se enquadra na política do Ministério da Justiça de modernização dos serviços de registo civil e notariado.
No primeiro trimestre deste ano, anunciou, as conservatórias de registos civil trataram de 2.014 certidões diversas e 8.895 fotocópias integrais. As conservatórias locais trataram, também, no mesmo período, de 778 cédulas pessoais (segunda via), 365 reconstituições de assentos do nascimento, 341 assentos de nascimento e 63 transcrições de assento de nascimento.
No mesmo período, foram tratadas 57 declarações tardias de assento de nascimento, 38 assentos de óbito, 15 processos de casamento e 13 assentos de casamento.
O sector arrecadou, no primeiro semestre, mais de 11,7 milhões kwanzas.

Tempo

Multimédia