Províncias

Ngolome transformado numa região do turismo

O incremento das acções de promoção do turismo pesqueiro pode beneficiar a localidade do Ngolome, comuna de Massangano, disse, ontem, em  Cambambe, o director provincial do Cuanza Norte da Agricultura e Pescas.

Zona piscatória do Ngolome conta com uma plataforma de processamento de pescado
Fotografia: Nilo Mateus |

Fernando Mesquita disse que o Executivo, em parceria com a FAO, está empenhado na criação de condições para o reforço da actividade pesqueira na lagoa do Ngolome, incluindo a construção de um bairro residencial, para despertar maior interesse das pessoas sobre as potencialidades da região.
A zona piscatória do Ngolome, a 66 quilómetros do Dondo,   conta desde 12 de Outubro   com uma plataforma de processamento de pescado, com vocação para dar formação aos pescadores. A infra-estrutura foi inaugurada pela ministra das Pescas, Vitória de Barros Neto.
Os investimentos associam-se às potencialidades já existentes na comuna de Massangano, com realce para a vila histórica que é a sede comunal, o centro de larvicultura do Mucoso, bem como a criação de zonas industriais, o que justifica a transformação de Ngolome num  centro turístico.
Apesar da existência de vários recintos piscatórios a nível da província, tais como as lagoas da Banga, de Samba Caju e de Lucala, a região de Massangano continua a atrair as atenções do Governo Provincial, pois além das lagoas a comuna é banhada pelos rios Kwanza e Lucala, nos quais também se pratica a pesca continental, disse Fernando Mesquita.
Podem surgir na região, acrescentou,  investimentos privados no sector agrícola, o que vai conferir  outra imagem à circunscrição e assim responder à ansiedade dos visitantes, sobretudo estudantes, que podemefectuar pesquisas nos domínios marinho e agrícola.
Na província do Cuanza Norte estão registados mais de 600 pescadores, maioritariamente em Cambambe, que se dedicam à captura do bagre, cacusso, mussolo, pelar, tanhia, dicuango e mungongono.

Tempo

Multimédia