Províncias

Nova centralidade é erguida no Quilombo

A cidade de Ndalatando, capital da província do Cuanza-Norte, vai dispor de uma nova centralidade, cujas obras arrancam amanhã, anunciou ontem o vice-governador provincial para o sector de Infra-estruturas.

Um pormenor da centralidade do Huambo igual a que será construída no Quilombo
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

Pedro Samuel Júnior falava no termo de uma visita que o governador do Cuanza Norte, José Maria dos Santos, efectuou ao espaço onde vai ser erguida a nova centralidade de Ndalatando.
Pedro Samuel Júnior explicou que a nova centralidade vai ser construída no perímetro do Quiombo (periferia da cidade de Ndalatando) e conta com 514 apartamentos em edifícios de três andares cada, num espaço de 400 hectares já preparados, retalhados e prontos para receber obras.
Para a primeira fase, Pedro Samuel Júnior referiu estarem já sinalizados seis hectares onde devem ser construídos os primeiros sete edifícios, com um total de 200 apartamentos.
Os apartamentos T-3 constituem um investimento do Executivo, para dar resposta aos anseios dos cidadãos de obtenção da casa própria, sobretudo para os jovens, os principais destinatários do projecto.
Pedro Samuel Júnior salientou que as condições  estão criadas para o arranque do projecto, embora não tenha avançado o prazo da conclusão das obras, que estarão a cargo da empreiteira Jonce.
Além das habitações, a construtora está orientada, de acordo com o contrato, a construir lojas, creches, hospitais e escolas.
O vice-governador provincial disse estar já identificado um ponto para a ligação do sistema de distribuição de electricidade que vai abastecer a centralidade, numa altura em que ainda persistam algumas dificuldades para a identificação de uma fonte de água.
Para a  solução deste problema, Pedro Samuel Júnior informou estarem a ser realizados  estudos para a criação de uma captação de água a partir do rio Lucala.
A actividade de campo do governador provincial José Maria incluiu vários projectos sociais em curso no Cazengo (município sede da província), com destaque para as obras de construção de escolas, de ampliação e urbanização do cemitério municipal.
Além do vice-governador, José Maria fez-se acompanhar da administradora municipal de Cazengo, Leonor da Silva Garibaldi,  de directores provinciais e  outros membros do Governo provincial.

Reação da população

A população da província do Cuanza-Norte reagiu com satisfação o anúcio da construção da nova centralidade a ser construída na cidade de Ndalatando.
António Domingo considera ser uma medida mais acertada, tendo em conta o défice habiatcional, sobretudo por parte dos jovens que pretendem constituir família.
“Nos sentimos felizes pelo facto de o Governo ter projectado mais uma centralidade. Pensamos que, com isso, ficará resolvido parte dos problemas que ainda continua a ser uma dor de cabeça para muitas famílias”, disse.
Para Miguel António, a construção de uma centralidade em Ndalatando é bem vinda e vai, com certeza, melhorar a qualidade de vida das populações, tendo em conta a dimensão do projecto habitacional.
Miguel António reconheceu os esforços das autoridades, tendente a melhorar as condições de vida das populações, referindo ser importante, nesta hora, a união de todos angolanos para que surjam mais projectos indênticos. “É um motivo de orgulho em ver resolvido um dos problemas que mais  preocupa milhares de famílias.
Agora não tem porque emigrar para outras províncias em busca de melhores condições. Internamente também  estão ser criadas as condições”, precisou o jovem residente na cidade de Ndalatando.

Tempo

Multimédia