Províncias

Novas estradas estão abertas à circulação

Marcelo Manuel e Silvino Fortunato| Ndalatando

Mais de 120 quilómetros de estradas asfaltadas foram oficialmente abertas à circulação automóvel ao longo da semana passada, na província do Kwanza-Norte, depois de serem inauguradas pelo ministro do Urbanismo e Construção, Fernando da Fonseca, e pelo governador da província, Henrique André Júnior.

Obras de construção e reabilitação de estradas inauguradas recentemente têm contribuido para a melhoria da circulação automóvel
Fotografia: Nilo Mateus

Mais de 120 quilómetros de estradas asfaltadas foram oficialmente abertas à circulação automóvel ao longo da semana passada, na província do Kwanza-Norte, depois de serem inauguradas pelo ministro do Urbanismo e Construção, Fernando da Fonseca, e pelo governador da província, Henrique André Júnior.
As estradas, que interligam as localidades de Maria Teresa e o rio Caxilo e Ndalatando a Caxilo, possuem sinalização.
A via Maria Teresa/Caxilo, também conhecida por Trombeta, começou a ser construída em Junho de 2008, e possui 60,80 quilómetros, encurtando em cerca de 40 a distância entre Ndalatando e Luanda, passando pela cidade do Dondo.
Os trabalhos nesta estrada, que permite também o acesso directo ao município do Golungo Alto, a partir de Maria Teresa, foram assegurados por 142 operários nacionais e estrangeiros. A terraplenagem consumiu 608.760,75 metros cúbicos de terra, a sub-base 186 mil e a base 88.692. A via tem 127 passagens hidráulicas, além de 41.103 metros de valetas e 32 mil de lancis.
Enquanto isso, a via Ndalatando/Caxilo, de 51,17 quilómetros, possibilita o acesso a Luanda e ao Golungo Alto e vice-versa. Os trabalhos de colocação do primeiro asfalto começaram em Abril de 2008 e terminaram em Julho do presente  ano.
Um total de 200 trabalhadores participou na sua construção. Foi feita uma terraplanagem de mais de 1.047.080 e a camada de desgaste tem 460.620 metros quadrados. O troço tem uma ponte, 122 passagens hidráulicas, 2.649 valetas e 6.336 metros de meia cana.

Outras inovações

Os governantes reinauguraram, num acto conjunto, o troço rodoviário Dondo/Alto Fina e as ruas da cidade do Dondo. O trajecto Dondo/Alto Fina tem 5,6 quilómetros e os trabalhos de reabilitação tiveram início em Fevereiro e ficaram concluídos este mês. A empreitada compreendeu o alargamento do conhecido “Morro do S”.
Para a isso, foi preciso desalojar 27 pessoas, cujas residências, construídas nos espaços destinados para o alargamento, tiveram de ser demolidas. A empresa compensou-as com a construção do mesmo número de habitações modernas na região do Alto Fina. As residências são T2, com cozinha, quarto de banho e quintal.
As famílias devem começar a morar nestas casas em Setembro, altura em que ficam concluídas e com energia eléctrica 24 horas ao dia.
O fornecimento de água potável vai ser garantido por um furo artesiano, com capacidade para abastecer dois tanques de armazenamento de 10 mil metros cúbicos cada.
A parte baixa da cidade do Dondo conhece hoje uma nova imagem que é facilitada pela reconstrução da maioria das suas ruas. Os trabalhos de asfaltagem dos arruamentos da velha cidade do Dondo, sede municipal de Cambambe, numa extensão de quatro quilómetros e 500 metros, garantem actualmente uma nova imagem.
O governador Henrique André Júnior disse que as vias inauguradas vão permitir um maior crescimento económico da província e as condições de vida dos seus habitantes.
O responsável provincial pediu aos automobilistas e à população em geral para manterem a conservação das estradas.
Aproveitou ainda para informar que o Governo já concluiu a asfaltagem dos troços Ndalatando/Golungo Alto, com passagem por Caxilo, e Ndalatando/Golungo Alto, com passagem pelo sector do Zanga, faltando apenas a sinalização. Em curso, estão as vias Golungo Alto/Ngonguembo, Golungo Alto/Banga, Lucala/Ambaca e Samba caju/Banga/Quiculungo/Bolongongo.

Satisfação dos habitantes

O soba grande do município de Cambambe, Manuel Kissola, salientou que a cidade do Dondo é digna de beneficiar de obras de restauro, dado o seu valor histórico, que influencia a auto afirmação do território que é a Angola de hoje. Nesse sentido, pediu às autoridades para melhorarem o aspecto dos vários edifícios da região e o abastecimento de água potável e energia eléctrica.
Automobilistas que circulam nas estradas nacional 230 e 120, entre os municípios de Cambambe, Golungo Alto e Cazengo, mostram-se satisfeitos com a qualidade dos trabalhos de asfaltagem, executados pelo Executivo ao longo dos últimos quatro anos.
O motorista José Bartolomeu, que efectua diariamente o percurso Luanda/Ndalatando, via Maria Teresa/Caxilo, até Cazengo, disse que o trabalho executado apresenta qualidade e permite percorrer o troço em duas horas e meia, ao contrário das cinco praticadas anteriormente.
O condutor disse estar surpreendido com a qualidade técnica com que foram executados os trabalhos de requalificação do “Morro do S”, antes um dos locais mais perigosos da via, devido ao seu elevado grau de inclinação e relevo montanhoso.

Tempo

Multimédia