Províncias

Núcleo local com poucos casos de cancro

Kátia Ramos | Ndalatando

Os casos de cancro da mama e do colo uterino na província do Kwanza-Norte registaram, durante o ano passado, uma redução considerável, segundo dados do Núcleo Provincial de Oncologia, que funciona no Hospital Central de Ndalatando, tendo registado 28 ocorrências em 2011, contra as 403 em 2010.

Supervisor Francisco Cahongo
Fotografia: Kátia Ramos | Ndalatando

Os casos de cancro da mama e do colo uterino na província do Kwanza-Norte registaram, durante o ano passado, uma redução considerável, segundo dados do Núcleo Provincial de Oncologia, que funciona no Hospital Central de Ndalatando, tendo registado 28 ocorrências em 2011, contra as 403 em 2010.
O núcleo realizou 218 exames no ano transacto e 513 em 2010, disse ao Jornal de Angola o supervisor do núcleo, Francisco Cahongo.
De acordo com o supervisor, o papel desempenhado pelos órgãos de comunicação social contribuiu significativamente para o esclarecimento dos cidadãos.
Entre os casos diagnosticados destacam-se 24 de cancro no colo uterino em mulheres e crianças menores de 14 anos. Foram ainda detectados 16 casos de lesões e 21 inflamações do colo do útero.
O Núcleo de Oncologia da província do Kwanza-Norte tem ao serviço dois médicos e seis enfermeiros, sendo dois especialistas de citologia vaginal. Recentemente, a instituição recebeu novos equipamentos para o rasteio da mama, microscópios e computadores.
Francisco Cahongo disse que o núcleo precisa de meios de transporte para as deslocações das equipas médicas nos municípios. Devido à falta de equipamentos, está impossibilitado de realizar o rastreio do cancro da próstata, rins, pulmões, cérebro, pele, estômago e ovários. O supervisor sublinhou que, em 2009, a unidade registou mais de 700 mil consultas da mama, tendo sido detectados 513 casos suspeitos.
Os casos positivos registados nos hospitais e centros médicos do Kwanza-Norte têm sido encaminhados para o Centro Nacional de Oncologia, em Luanda. esde a implantação do núcleo na província foram já criados os serviços de oncologia nos municípios de Golungo Alto, Cazengo, Lukala, Cambambe, Samba Cajú e Ambaca. Os serviços serão instalados mais tarde nos municípios da Banga, Bolongongo, Ngonguembo e Kikulungo. Por outro lado, a  Associação ­Nacional de Luta conta o Sida (Anaso) distribuiu, no fim-de-semana, mais de quinhentos mil preservativos nas artérias da cidade de Ndalatando, com o objectivo de alertar para os perigos das doenças sexual transmissíveis.
A distribuição foi feita por cerca de 120 pessoas da  JMPLA, OMA e da Anaso.

Tempo

Multimédia