Províncias

Núcleo local de Oncologia diagnostica cancro da mama

Kátia Ramos|Ndalatando

O Núcleo de Oncologia no Kwanza –Norte, que funciona no Hospital Central de Ndalatando, diagnosticou durante o primeiro semestre deste ano 28 casos positivos de cancro da mama dos 300 testes efectuados, disse o seu responsável, Francisco Cahango em declarações ao Jornal de Angola

Milhares de mulheres procuram o hospital de Ndalatando para fazerem o rastreio
Fotografia: Eduardo Pedro

O Núcleo de Oncologia no Kwanza –Norte, que funciona no Hospital Central de Ndalatando, diagnosticou durante o primeiro semestre deste ano 28 casos positivos de cancro da mama dos 300 testes efectuados, disse o seu responsável, Francisco Cahango em declarações ao Jornal de Angola.
Francisco Cahango sublinhou que durante o ano de 2010 se registaram mais de 700 consultas, em que se detectaram 513 casos suspeitos que foram encaminhados para o Centro Nacional de Oncologia, em Luanda. Destes, 348 casos foram dados como positivos e 89 negativos. Localmente foram feitos rastreios primários nos centros municipais de Cazengo, Cazengo, Cambambe, Ambaca, Lucala e Samba Caju, através do método “Papá Nicolau”, segundo Francisco Kahango, acrescentando que para além daquelas cifras foram detectados mais outros 19 casos, dos quais 13 em adultos e seis em crianças menores de 14 anos.
A província do Kwanza-Norte conta com um Núcleo de Oncologia com estruturas próprias, no município de Cazengo, aberto em 2009 e que conta com dois médicos e cinco enfermeiras. Os centros de Cambambe, Ambaca e Lucala funcionam em instalações provisórias, segundo o responsável do centro do Kwanza–Norte.
Por falta de condições técnicas, o Núcleo de Oncologia do Kwanza–Norte ainda não realiza exames do cancro, rins, pulmões, cérebro, estômago, ovário, próstata e pele.
O especialista explicou que o choque e o stress que se seguem a um diagnóstico do cancro podem tornar difícil o tratamento.
Em relação a lesões do colo uterino foram detectadas 14 casos novos, 23 inflamações, 11 casos de lencorreia (doença que consiste no corrimento nos órgãos genitais), que resultaram em quatro casos positivos em estado avançados.
Apesar de ter, recentemente, recebido novos equipamentos para o rastreio do cancro da mama, microscópios para diagnósticos de citologia “Papa Nicolau” e computadores, o Núcleo de Oncologia do Cazengo ainda está longe de corresponder às necessidades por falta de médicos e viaturas.

Tempo

Multimédia