Províncias

Nutrição em crianças e idosos regista melhorias

Manuel Fontoura | Ndalatando

O défice nutricional das crianças e idosos vulneráveis de certas localidades da província do Cuanza Norte vai conhecer uma diminuição considerável, nos próximos tempos, com o lançamento quarta-feira do projecto-piloto de produção algas espirulinas no país, na localidade da Lagoa do Ngolome.

Défice nutricional dos idosos vulneráveis vai conhecer uma diminuição nos próximos tempos
Fotografia: Nuno Flash|Edições Novembro

O projecto-piloto dispõe já de infra-estruturas existentes no Ngolome, construídas no âmbito do Plano de Investimento do Executivo, através do Ministério da Pesca, em parceria com o Governo Provincial do Cuanza Norte.
O representante da FAO, Mamoudou Diallou, explicou que a alga natural é um alimento com altíssimo valor nutritivo, que actualmente é utilizado como comida terapêutica e suplemento alimentar.
As espirulinas contém nutrientes como proteínas, aminoácidos essenciais e vitaminas minerais, dai considerar como o único alimento que tem as concentrações mais altas de macro e micro nutrientes, que permitem fazer face ao défice nutricional decorrente nas camadas mais vulneráveis, com destaque para crianças e os idosos.
Para Mamoudou Diallou, a espirulinas é um alimento já desenvolvido nos cincos continentes pelo seu valor nutritivo único e ímpar pelo seu rendimento, que se tornou um objecto de comércio mundial e que constitui uma das fontes de divisas de exportação em muitos países como a Índia, China, Cuba, México, Israel, Estado Unidos, Burquina Faso, Chade e Ghana. Em Angola, a primeira experiência de produção artificial de espirulinas foi realizada, pela primeira vez, em 2014, no perímetro do Kicuxi, na província de Luanda, em teste de pequena escala, que visou capacidade de produção deste produto, com resultados de grande qualidade.
Mamoudou Diallou avançou que este projecto-piloto se propõe a valorizar a primeira experiência numa escala maior, em condições de produção, antes de passar para uma produção nacional, no âmbito de um futuro programa da cadeia de valor integrado.
 Este programa, perspectiva, daria numa parceria público-privada entre os ministérios das Pescas, Saúde, Agricultura, Família e Promoção da Mulher e as organizações não-governamentais que trabalham na área de nutrição. O representante da FAO  disse que, com este projecto, o Ministério das Pescas vai aumentar e diversificar significativamente e de modo sustentável as produções aquícolas, incluindo as espirulinas, para melhorar a situação nutricional das crianças, que vão ter realmente um estatuto melhor na Lagoa de Ngolome.
O diplomata precisou que este projecto de cooperação não está isolado, pelo que a FAO vai antecipar e acompanhar a construção da escola primária, bem como apoiar este perímetro hortícola e acompanhar a transformação dos produtos que vão sair desta localidade.
 Para além disso, vai ser  instalada uma cantina escolar, um processo que vai se englobar no pacote da produção e transformação do peixe e da espirulinas, pelo que não seria possível realizar-se, caso não fosse a vontade política do Executivo, levado a cabo pelo Ministério das Pescas e da FAO.

Tempo

Multimédia