Províncias

Obras do aeroporto de Carianga vão terminar em finais deste mês

Manuel Fontoura e Adelaide Mualimusi |Ndalatando

As obras de reabilitação e ampliação do aeroporto de Carianga, cerca de sete quilómetros a norte da cidade de Ndalatando, província do Kwanza-Norte, vão ficar concluídas em finais deste mês, anunciou o director local da Unidade Básica da Imbondex.

Além da pista o recinto aeroportuário será apetrechado com meios modernos
Fotografia: Nilo Mateus

As obras de reabilitação e ampliação do aeroporto de Carianga, cerca de sete quilómetros a norte da cidade de Ndalatando, província do Kwanza-Norte, vão ficar concluídas em finais deste mês, anunciou o director local da Unidade Básica da Imbondex.
Miguel Rapado Naranjo, da empreiteira das obras, fez esta declaração aquando da visita que o ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, efectuou ontem ao local, para constatar o andamento da empreitada.
Além da pista, com cerca de 2.120 metros de comprimento, mais 120 em relação a anterior, e 30 metros de largura, o recinto aeroportuário será apetrechado com meios modernos e tecnológicos de ultima geração.
Enquadradas no âmbito do Programa de Reconstrução Nacional, as obras de reabilitação do aeroporto de Carianga estão avaliadas em mais de 50 milhões de dólares.
O estabelecimento vai beneficiar ainda da reparação e modernização total do terminal, sala de embarque, hangar (local onde se guarda os aviões), infra-estrutura para o corpo de bombeiros, antes inexistentes, zonas de serviço e parque de estacionamento para cerca de 50 viaturas.
Os trabalhos, iniciados em Outubro de 2009, contam com a prestação de 130 trabalhadores nacionais, recrutados localmente, e 40 técnicos cubanos.
, Miguel Rapado Naranjo adiantou que vai ser um aeroporto de nível pequeno e médio porte, que poderá receber aviões com capacidade para transportar mais de  cinquenta passageiros.
O ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, prometeu ao governo provincial do Kwanza-Norte toda a ajuda por parte do Executivo para que o transporte de pessoas e mercadorias para o Kwanza-Norte seja um êxito.


Ombadja  vai ter aeródromo


Um aeródromo vai ser construído nos próximos tempos na povoação do Calueque, comuna de Naulila, município de Ombadja, anunciou na quarta-feira o governador do Cunene, durante a cerimónia de entrega de três carrinhas e dois tractores à duas cooperativas agrícolas e pesqueiras da localidade.
António Didalelwa, que não avançou mais dados sobre a construção do referido aeródromo, revelou que a localidade vai ainda beneficiar de um projecto de urbanização para melhorar a distribuição da energia, água e a própria imagem das ruas.
A construção de residências para enfermeiros e professores, a instalação de uma representação do Banco de Poupança e Crédito (BPC) e a colocação de uma antena de telemóvel, constam ainda dos projectos das autoridades provinciais para aquela povoação.
Os meios entregues pelo governador às respectivas agremiações tem por objectivo permitir aos agricultores a garantia do escoamento dos seus produtos agrícolas do campo para a cidade.
Uma das três carrinhas entregues é frigorífica, para permitir que os produtos dos pescadores sejam conservados de forma condigna e com maior qualidade.
António Didalelwa acentuou que os referidos meios vão evitar que a população local deixe de se deslocar à vizinha República da Namíbia para adquirir bens alimentares e exortou os membros das cooperativas beneficiadas a preservarem as embarcações, pagarem as licenças de pesca e amortizarem os créditos bancários, com vista a facilitar a atribuição de empréstimos a outras cooperativas.
Defendendo a necessidade das cooperativas realizarem uma actividade responsável e sustentável, pensando nas futuras gerações e respeitando as normas que regulamentam a actividade, pediu aos produtores para se organizarem e, desse modo, beneficiarem do apoio do Executivo.
 António Didalelwa esclareceu ainda que estes meios agora entregues fazem parte do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à fome e à Pobreza, com vista ao aumento da produção dos camponeses e dos pescadores.
O vice-presidente da cooperativa agrícola “Simione Mucuni”, Neto Miguel, salientou que a associação tem produzido diversos tubérculos, entre os quais batata-doce e rena, além de legumes diversos, banana, cana-de-açúcar, arroz, milho, feijão, ginguba e ervilhas.
Com duas cooperativas agrícolas  compostas por  quatro centose trinta (430) cooperadores, a povoação do Calueque, que faz fronteira com a República da Namíbia, fica a 200 quilómetros da cidade de Ondjiva, capital do Cunene.

Tempo

Multimédia